Improbidade volta a ser discutida no STF

A discussão em torno da nova Lei de...

Baianos Erlon de Souza e Filipe Santana conquistam ouro no Pan de Canoagem

Os baianos Erlon de Souza e Filipe Santana...

Bruno Reis pede que comissões da Câmara de Vereadores sejam reestabelecidas

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), voltou...

Farmácias do interior de Minas sofrem tentativas de ‘assalto pelo telefone’

O golpe do assalto pelo telefone provocou pânico na...

Cruzeiro mapeia causas do caos nas catracas e vislumbra soluções

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
O caos registrado no acesso de torcedores do Cruzeiro em algumas partidas da Série B e especialmente na terça-feira (28), diante do Sport, no Mineirão, virou tema de estudo profundo da diretoria da SAF chefiada por Ronaldo. Em entrevista ao podcast Superesportes Entrevista, o diretor de negócios do clube, Lênin Franco, responsável pelo programa de sócios, afirmou que as principais causas do acesso desorganizado estão mapeadas e serão solucionadas jogo a jogo.

A medida experimental de separar o acesso de sócios e torcedores comuns foi considerada bem-sucedida na terça passada e será mantida nesta sexta-feira para o jogo contra o Vila Nova, às 21h30, no Mineirão.

Lênin contou que o clube fez uma reunião de emergência na quarta-feira (29) justamente para alinhar medidas com empresas terceirizadas que fazem o controle de acesso e também nas catracas. Polícia Militar e Mineirão também discutiram ações com o clube.

“Não vai estar resolvido (no jogo com o Vila Nova), porque não houve tempo hábil, mas a gente já tem tudo mapeado e agora a gente usa esse mapeamento para, ponto a ponto, ir resolvendo da melhor maneira. A gente tem todos os entrantes desse processo ciente do que precisa fazer. É diálogo nos próximos dias para amarrar cada coisinha e melhorar a experiência do sócio e do torcedor na entrada no estádio”.

Assista à entrevista de Lênin Franco sobre o programa de sócio

Pessoas sem ingresso

A cada jogo, o Cruzeiro pretende fazer experiências para evitar que as catracas sejam o ponto de acúmulo de torcedores. Por meio de câmeras de monitoramento, já foi detectado, por exemplo, que há grupos de centenas de pessoas sem ingresso que se aglomeram nas proximidades dos portões de acesso para gerar o caos e entrar no estádio. A PM já foi alertada pelo clube, e medidas serão tomadas.

“Uma coisa que a gente conseguiu monitorar é que há um grupo que se acumula perto da catraca e que já aguarda o caos. Ele fica posicionado de uma maneira que, quando o caos começa, ele ajuda a aumentar o caos para aí sim entrar sem ingresso”, contou Lênin Franco.
“É uma coisa que eu preciso alinhar com a polícia, porque como é que eu desmobilizo isso? Essa mobilização perto da catraca é de 300 pessoas. Num bloco de 17 catracas é muita gente. E quando cria esse caos a gente está falando do efeito manada. As pessoas ficam apavoradas, pulam, mesmo com ingresso na mão. O mais importante era saber quais eram os problemas. Agora é trabalhar e resolver”.

Acesso em cima da hora

O hábito do torcedor de chegar ao estádio minutos antes do jogo também vem sendo objeto de estudo da nova gestão do Cruzeiro. Na partida contra o Sport, iniciada às 21h30, mais da metade do público total acessou o Mineirão 15 minutos antes de a bola rolar.
“Dos 39 mil (presentes), eu tinha 20 mil que até 21h15 não tinham entrado no estádio. Em 15 minutos tinha que entrar 20 mil no estádio. Por mais que ajuste o processo, nunca vai ser fluído porque é muita gente para entrar ao mesmo tempo. Temos que melhorar os processos para que o gargalo não seja a catraca”, observou o diretor de negócios.

Melhorar experiência

Para tentar antecipar a entrada do torcedor, o Cruzeiro estuda medidas para melhorar a experiência do sócio dentro do Mineirão. Uma delas, focada nos apreciadores da cerveja, é buscar parcerias para baratear o custo da bebida nos bares do interior do estádio. 
“Lá em Salvador, o sócio do Bahia tem 50% de desconto na cerveja dentro do estádio. Ele paga R$ 3,50 na lata. É um preço próximo do que ele pagaria fora do estádio. Lá são sete latas de cerveja que ele pode comprar com 50% de desconto. Então, eu consigo trazer ele antes e evito o gargalo dos 15 minutos (antes de a bola rolar)”, exemplificou Lênin.
Uma das ideias do Cruzeiro é implantar algo parecido no Mineirão.
“A gente tem que tentar todas as alternativas. Todas as alternativas eu tenho que mapear. É ensaio e erro. Eu vou na Ambev, vou no Mineirão, vou no terceirizado que opera e vamos tentar amarrar com as alternativas. Não há como garantir que vamos fazer, porque têm terceiros, quartos, quintos envolvidos no processo. É muita ponta para amarrar, mas o torcedor tem que ter certeza que a busca é incansável para melhorar a experiência dele. E quando eu melhoro a experiência dele, a tendência é que eu atraia ele antes para dentro do estádio”, concluiu.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Cuca diz que Palmeiras é favorito contra o Atlético: ‘Faca e queijo na mão’

Para o técnico Cuca, o favoritismo do Palmeiras contra o Atlético nas quartas de final da Copa Libertadores é "inquestionável". Após a derrota por 3 a 2 para o...

Atlético: ‘Temos que ser mais maduros e inteligentes’, dispara Hulk

Hulk não poupou críticas após a derrota do Atlético por 3 a 2 para o Athletico-PR, neste domingo (7), pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. Apesar de ter entrado...

Mal no Brasileiro, Atlético tem ‘jogo da temporada’ contra o Palmeiras

O Atlético vive a semana mais importante da temporada 2022 até aqui. Longe da disputa pelo título do Campeonato Brasileiro, o time alvinegro terá nesta quarta-feira (10/8) o 'jogo...