Primeiros sinais de estabilidade da varíola dos macacos é observado no Reino Unido

A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido...

Palmas de Monte Alto: Acidente entre caminhão e moto deixa dois mortos na BR-030

Dois homens morreram na noite deste sábado (6),...

Mundial de canoagem: Isaquias fica com a prata na categoria C1 1000m

Isaquias Queiroz voltou a brilhar no Mundial de canoagem. Após...

Documento aponta que Arthur Lira omitiu duas fazendas no total de R$ 1 milhão

Documentos assinados em um cartório no interior do...

Câmara: bancada do PSB quer benefícios permanentes na PEC dos Auxílios

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

A bancada do PSB na Câmara dos Deputados apresentou, nesta quinta-feira (7/7), um relatório paralelo à PEC dos Auxílios, em que cobra a obrigatoriedade de tornar permanentes o Auxílio Brasil no valor de R$ 600 e o Auxílio Gás. Além disso, os deputados do partido querem vedar publicidades institucionais do governo sobre as medidas neste ano.

Os parlamentares pedem que o parecer alternativo seja votado em separado na comissão especial criada para deliberar o relatório do deputado Danilo Forte (União-CE). Caso seja aprovado, o texto irá direto ao plenário. A expectativa da Casa é votá-lo ainda nesta tarde.

Veja o documento:

Relatório Paralelo PEC dos Auxílios by Metropoles on Scribd

Os deputados defendem que as medidas buscam “tirar o caráter eleitoreiro” da PEC patrocinada pelo governo federal, que turbina auxílios sociais e cria outro benefícios até o final deste ano. A medida é a aposta do governo federal para reduzir a rejeição ao presidente Jair Bolsonaro (PL) às vésperas das eleições.

“A população mais vulnerável não precisa de socorro apenas nesses meses. O Brasil está mergulhado em uma das piores crises da história e a economia não vai se recuperar de um dia para o outro. É fundamental combater esta situação de extrema pobreza e fome a que o atual governo conduziu boa parte do povo”, afirma Elias Vaz (GO).

O relatório paralelo também suprime da PEC o estado de emergência. A medida foi alternativa encontrada pelo relatora da proposta no Senado, senador Fernando Bezerra (MDB-PE), para evitar que a PEC fosse questionada na Justiça e viesse a perder validade, uma vez que a legislação veda à Administração Pública, em ano eleitoral, a criação de novos benefícios e conceda repasses de verbas.

“O estado de emergência não pode ser inventado por uma norma legal. E há o risco de ser usado como pretexto para atos que seriam vedados ao presidente”, critica Vaz.

O que diz a PEC Em síntese, a PEC estipula um pacote de R$ 41,25 bilhões para reduzir, através da ampliação de auxílios e criação de novos benefícios sociais, o impacto dos aumentos sucessivos nos preços dos combustíveis.

Entre as propostas aprovadas na matéria, está a criação de um auxílio financeiro que deverá ser pago a motoristas de taxi para abastecimento do veículo profissional. Além disso, o projeto se propõe a aumentar o valor do Auxílio Brasil de R$ 400 para R$ 600, e a zerar a fila de beneficiários que ainda aguardam a inclusão no programa social.

Também estão previstos: a ampliação do Vale-Gás para o equivalente ao preço de um botijão por bimestre, e a criação de um voucher mensal de R$ 1 mil para caminhoneiros abastecerem com diesel. A União também se propõe a ressarcir estados que aderirem à gratuidade para idosos nas passagens de transporte público.

Veja os principais pontos da PEC:

Aumenta em R$ 200 o valor do Auxílio Brasil, de R$ 400 para R$ 600, ao custo estimado de R$ 26 bilhões; Zera a fila do Auxílio Brasil. Atualmente, mais de 1,6 milhão de pessoas aguardam pela inclusão no pagamento do benefício; Aumenta o vale-gás para o equivalente a um botijão por bimestre. Esta medida está orçada em R$ 1,5 bilhão; Cria um benefício de R$ 1 mil aos transportadores autônomos de carga. A medida, que custará R$ 5,4 bilhões, contempla apenas os caminhoneiros com Registro Nacional do Transportador Rodoviário de Carga (RNTRC); Cria um benefício a ser pago para motoristas de taxi, ao custo fixado de R$ 2 bilhões; Compensa, ao custo de R$ 2 bilhões, estados que atenderem à gratuidade de idosos no transporte coletivo urbano. Os R$ 3,35 bilhões restantes servirão para assegurar o atual regime especial e a diferenciação tributária do etanol, em comparação com a gasolina.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

O post Câmara: bancada do PSB quer benefícios permanentes na PEC dos Auxílios apareceu primeiro em Metrópoles.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Documento aponta que Arthur Lira omitiu duas fazendas no total de R$ 1 milhão

Documentos assinados em um cartório no interior do estado de Alagoas apontam que o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), não declarou à Justiça Eleitoral nas...

Impedido de usar redes, Zé Trovão anuncia candidatura pelo Telegram

Apasar de estar proibido pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de usar redes sociais, o caminhoneiro bolsonarista Marcos Antônio Pereira Gomes, mais conhecido como Zé...

Bolsonaro durante culto em BH: ‘A função que ocupo é uma missão de Deus’

Sob aplausos e bênçãos, o presidente da República e candidato à reeleição, Jair Messias Bolsonaro (PL), participou do culto que celebra 50 anos de ministério do pastor Márcio Valadão, na...