Amargosa: Homem é baleado na porta de casa após discussão em festa

Um homem identificado como Darlan Araújo Cabral da...

Justiça contraria parecer médico e nega internação de adolescente em clínica de obesidade

A Justiça baiana negou um pedido de internação...

Ainda sem condições, Lazaroni segue fora do time do Vitória e não pega o Paysandu

O lateral Guilherme Lazaroni vai desfalcar o Vitória...

Anamma firma acordo com Fórum Baiano de Comitês de Bacias Hidrográficas

A Associação Nacional de Municípios e Meio Ambiente...

Caixa Econômica Federal teria pago obras em mansão de Pedro Guimarães

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
age20220629067

O ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, acusado de assédio sexual e moral, admitiu que usou dinheiro do banco para custear obras na mansão onde mora, em uma das áreas mais luxuosas de Brasília. A denúncia que está sendo analisada pelo Ministério Público Federal (MPF) mostra que Guimarães autorizou as obras em junho de 2020 ao alegar supostas ameaças. A instituição financeira informou que a obra na casa do então presidente do banco foi para melhorar a segurança, o que consta no regimento interno da empresa. Segundo a denúncia, a obra custou mais de R$ 50 mil e esse valor pode subir ainda mais.

A empresa responsável pela obra é a MBM Engenharia e o último contrato de prestação de serviço assinado tem o valor de R$ 16,3 milhões de reais, deste total R$ 4,9 milhões já foram recebidos pela empresa. A obra foi autorizada pela diretora-executiva de logística e segurança da caixa, Simone Benevides de Pinho Lima. Fotos mostram os funcionários da empresa de engenharia trabalhando na mansão, que foi alugada depois que o ex-presidente da Caixa deixou o apartamento de luxo custeado pelo próprio banco.

O novo jardim custeado pela instituição financeira tem um novo projeto paisagístico e contou com a instalação de onze postes de iluminação. O salário de Guimarães era cerca de R$ 56 mil e, com as gratificações, o valor de rendimento passava de 200 mil reais por mês. Em mais conversas, divulgadas pelo jornal Metrópoles, o ex-presidente da Caixa perde a paciência quando descobre que perderá mais de R$ 100 mil em bonificações e que terá que devolver o dinheiro.

Ainda segundo a denúncia analisada pelo MPF, Pedro Guimarães tentou passar para o banco várias outras obras na mesma mansão, que acabaram barradas pela própria Caixa. Em nota, a MBM Engenharia informou que não vai comentar o assunto. O advogado José Luís Oliveira Lima, que representa o ex-presidente da empresa, afirma que a obra foi feita dentro da legalidade.

*Com informações do repórter Maicon Mendes

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Petrobras aprova oito novos membros para Conselho de Administração

A Assembleia Geral de Acionistas da Petrobras aprovou nesta sexta-feira, 19, oito nomes nomes que irão integrar o Conselho de Administração da estatal. Após a votação, foram incluídos os...

Gigante holandesa paga R$ 9,4 bilhões para ter controle total do iFood

A Prosus vai pagar R$ 9,4 bilhões a Just Eat Holding Limited, acionista minoritário do iFood, para ter 100% dos direitos do aplicativo de delivery de comida. O valor...

Frio chega a São Paulo e faz paulistanos tirarem casacos do armário; veja fotos

Uma frente fria foi responsável por derrubar as temperaturas de diversas cidades do Sul e Sudeste do Brasil nesta sexta-feira, 19. Na cidade de São Paulo, os termômetros chegaram...