Templo da Backer volta a operar nesta quinta com evento gastronômico

O "Templo Cervejeiro", restaurante anexo à Cervejaria Backer no Bairro...

Países ocidentais prometem R$ 7,9 bilhões em auxílio à Ucrânia

Países ocidentais se comprometeram nesta quinta-feira, 11, a oferecer...

Filme do ‘Flash’ com Ezra Miller pode ser cancelado pela Warner; entenda

Após cancelar o filme de Batgirl e outras produções,...

Com gol nos acréscimos, Athletico-PR vence o Estudiantes e avança à semifinal da Libertadores

A última vaga às semifinais da Copa Libertadores foi...

Boris Johnson é pressionado a deixar liderança do Partido Conservador do Reino Unido

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, é pressionado a renunciar a sua posição de líder do Partido Conservador do Reino Unido, o que representaria também a renúncia ao posto de chefe do governo. Na manhã desta quinta-feira, 7, as manchetes dos jornais britânicos destacam a situação insustentável do chefe de Governo. O Daily Express, jornal favorável aos conservadores, cita a “última batalha” de Johnson, o Daily Telegraph afirmou que o primeiro-ministro estava “mortalmente ferido”, a BBC informou que Johnson deve renunciar nesta quinta-feira, 7, e o Downing Street anunciou que ele fará um discurso aos britânicos durante o dia. Recentemente, Johnson afirma que não irá renunciar o cargo de primeiro ministro do país.

Na pior crise do seu governo, após diversas denúncias contra ele, Johnson já não tem mais apoio do partido para permanecer no posto. O novo ministro das Finanças, Nadhim Zahawi, nomeado na última terça-feira, 5, depois que Rishi Sunak anunciou sua demissão, provocando o início da crise política, se uniu nesta quinta aos pedidos de renúncia. “Sabe em seu coração o que é o correto, saia agora”, escreveu em uma carta publicada no Twitter. Já Michelle Donelan, nomeada na terça-feira para o ministério da Educação para substituir Zahawi, apresentou o pedido de demissão apenas 48 horas depois de assumir a pasta.

Outro pedido de demissão veio do ministro para a Irlanda do Norte, o até agora leal Brandon Lewis, o que eleva a mais de 50 o número de renúncias no Executivo desde as saídas de Sunak e do ministro de Saúde, Sajid Javid, na tarde de terça-feira. “Um governo decente e responsável se baseia na honestidade, integridade respeito mútuo”, afirmou Lewis. “Lamento profundamente ter que deixar o governo porque acredito que estes valores não são mais respeitados”, acrescentou. Keir Starmer, líder do Partido Trabalhista, principal força da oposição britânica, afirmou que a perspectiva de renúncia do primeiro-ministro é uma “boa notícia”. Ele considerou, no entanto, que não basta mudar o líder do Partido Conservador. “Precisamos de uma verdadeira mudança de governo”, disse Starmer.

*Com informações da AFP

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Países ocidentais prometem R$ 7,9 bilhões em auxílio à Ucrânia

Países ocidentais se comprometeram nesta quinta-feira, 11, a oferecer mais de 1,5 bilhão de euros (R$ 7,9 bilhões, na cotação atual) em dinheiro, equipamentos e treinamento para aumentar as...

Pedra da fome reaparece na Europa em meio à seca e acende alerta: ‘Período de miséria’

Além das altas temperaturas que atingem os países da Europa, o continente também sofre com a seca dos rios que tem feito itens que estavam submersos reaparecerem, como uma...

Langya, novo vírus de origem animal, já foi identificado em 35 pessoas na China

Um novo vírus de origem animal já está em circulação. O langya (Langya henipavirus (LayV)) causa sintomas como: febre, cansaço, tosse, náusea e dor de cabeça. Segundo informações de...