Ex-sem-teto Givaldo Alves vende ‘Pau de Mendigo’ sem aval da Anvisa

Após ficar famoso por ter mantido relações sexuais...

São João de Porto Seguro recebe 80 mil pessoas em show de Amado Batista

O cantor Amado Batista, que completa 47 anos...

Bolsonaro diz que anunciará Braga Netto como candidato a vice

Jair Bolsonaro (PL) afirmou na noite deste domingo (26/6)...

Tombamento da Serra do Curral pode ir a plenário

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
O processo de tombamento estadual da Serra do Curral pode dar um passo importante. A partir das 10h, a Comissão Especial da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) que analisa a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 67/21 pode aprovar o texto que estabelece reconhecimento e proteção do cartão-postal de Belo Horizonte.
A medida é vista pela ALMG como uma forma de impedir a mineração em uma área limítrofe entre as cidades mineiras de Belo Horizonte, Nova Lima e Sabará. A Serra do Curral é alvo de projeto de exploração da Taquaril Mineração SA (Tamisa), que teve licença concedida pelo Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) em 30 de abril deste ano.
O texto que pode ser votado na reunião de hoje tem assinatura de 30 dos 77 deputados estaduais. Deste total, cinco compõem a Comissão Especial. São eles: Gustavo Santana (PL); Mauro Tramonte (Republicanos); Beatriz Cerqueira (PT), relatora; Osvaldo Lopes (PSD), vice-presidente; e Ana Paula Siqueira (Rede), presidente. Dos cinco integrantes, somente Gustavo Santana não assinou a PEC.
A intenção dos parlamentares é votar o relatório favorável à PEC logo de manhã para que a apreciação em primeiro turno no plenário da ALMG aconteça o mais breve possível. Por precaução, uma reunião da Comissão Especial da PEC está marcada para as 16h de hoje para caso haja algum contratempo na primeira reunião.

ALMG ou Iepha-MG? 

Desde 2021, o tombamento estadual da Serra do Curral está parado no Conselho Estadual de Patrimônio Cultural de Minas Gerais (Conep-MG), ligado ao Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG). Já há reconhecimento no âmbito municipal em BH e também federal, o que não impediu a ação da mineradora.
Na última terça-feira, a presidente do Iepha-MG, Marília Palhares Machado, acenou com a possibilidade de o órgão concluir o tombamento estadual em agosto. Apesar disso, os parlamentares querem que o reconhecimento aconteça antes, a fim de impedir a ação da Tamisa.
O empreendimento da Tamisa na Serra do Curral é criticado por ambientalistas, representantes do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) e Prefeitura de Belo Horizonte. Há, por exemplo, temor por riscos ao ar e à água que chegam à capital mineira.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bolsonaro diz que anunciará Braga Netto como candidato a vice

Jair Bolsonaro (PL) afirmou na noite deste domingo (26/6) que vai anunciar “nos próximos dias” o ex-ministro Walter Braga Netto como vice em sua...

Bolsonaro diz que foi obrigado a dar ‘graça’ a Daniel Silveira

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou, neste domingo (26/6), que foi obrigado a conceder a "graça presidencial" ao deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ). A declaração...

‘Aqui não é comício’, diz Elba Ramalho em meio a gritos de ‘Fora, Bolsonaro’

A cantora Elba Ramalho interrompeu um coro de "Fora, Bolsonaro" do público durante show no Parque de Exposições, em Salvador, neste domingo. Ela...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com