Luiz Flávio de Oliveira apita duelo entre Brusque e Bahia em Santa Catarina

O árbitro da Fifa Luiz Flávio de Oliveira,...

Opinião: A vidência mítica de Bolsonaro que nos ludibria o caos

A última semana foi...

Vice de Bolsonaro, Braga Netto será exonerado do Planalto nesta semana

Praticamente anunciado por Jair Bolsonaro nesse domingo (26/6) como...

Disparada dos preços dos combustíveis: quem pode menos paga mais

Moradores de cidades mineiras mais pobres e isoladas, como...

Temer desmente Bolsonaro sobre acordo com Moraes no 7 de setembro

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
O ex-presidente Michel Temer (MDB) desmentiu seu sucessor, Jair Bolsonaro (PL), sobre um “acordo” com o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, para publicar a carta na qual pediu desculpas pelos ataques à democracia na celebração do Dia da Independência (7 de setembro) em 2021.

Foi Temer quem ajudou Bolsonaro a redigir o documento. Segundo o político do MDB, “não houve condicionantes” para a divulgação da carta, uma vez que se tratava de “um gesto conjunto de boa vontade e grandeza entre dois poderes do Estado brasileiro”. Na ocasião, o atual presidente da República se retratou das ofensas ao STF e à democracia nacional.

  • LEIA TAMBÉM: As ameaças de Bolsonaro em discurso a manifestantes no 7 de Setembro
Mais cedo, em entrevista ao SBT, Bolsonaro disse que assinou a carta escrita com auxílio de Michel Temer porque o ministro Alexandre de Moraes concordou em fazer um acordo. Segundo o presidente, Moraes acabou não cumprindo “com nenhum dos itens” combinados.
O chefe do Executivo federal não explicou qual seria o “acordo” entre ele e o ministro, mas frisou que a intermediação foi feita por Temer.

  • LEIA TAMBÉM: Bolsonaro diz ter feito ‘acordo’ com Moraes depois do 7 de setembro

“Estava eu, Michel Temer e um telefone celular na minha frente. Ligamos pro Alexandre de Moraes e falamos três vezes com ele. Combinamos umas certas coisas para assinar aquela carta. Ele não cumpriu nenhum dos itens que eu combinei com ele. Logicamente eu não gravei essa conversa por questão de ética, jamais faria isso, mas digo que o Alexandre de Moraes não cumpriu uma só das coisas que acertamos naquele momento para assinar aquela carta”, afirmou o presidente.

Em 2021, Jair Bolsonaro participou de uma série de manifestações no feriado do Dia da Independência (7 de setembro). Em cima dos palanques, o presidente insinuou um possível golpe, atacou os Três Poderes e ministros do STF e declarou que o sistema eleitoral brasileiro não oferecia segurança.

Com a palavra, Michel Temer

 
“Em relação à declaração de hoje do Senhor presidente da República sobre a assinatura da carta de 9 de setembro, tenho o dever de esclarecer que fui a Brasília naquela oportunidade com o objetivo de ajudar a pacificar o país e restabelecer o imperativo constitucional da harmonia entre os Poderes. As conversas se desenvolveram em alto nível como cabia a uma pauta de defesa da democracia. Não houve condicionantes e nem deveria haver pois tratávamos ali de fazer um gesto conjunto de boa vontade e grandeza entre dois Poderes do Estado brasileiro. Mais do que nunca, o momento é de prudência, responsabilidade, harmonia e paz”.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Vice de Bolsonaro, Braga Netto será exonerado do Planalto nesta semana

Praticamente anunciado por Jair Bolsonaro nesse domingo (26/6) como seu candidato a vice-presidente, o general Braga Netto deixará nesta semana o cargo de assessor...

Bolsonaro: ‘Milton Ribeiro foi preso injustamente’

"Nada justifica o que fizeram com Milton Ribeiro”, disse o presidente Jair Bolsonaro (PL), neste domingo (26/6), ao falar sobre a prisão do ex-ministro...

Ex-empresário de Luva de Pedreiro se pronuncia após influenciador reclamar de redes sociais

Após anunciar que teve a conta do WhatsApp hackeada, o influenciador Luva de Pedreiro voltou às redes sociais para informar que também perdeu...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com