União Brasil vai anunciar apoio à candidatura de Rodrigo Garcia em SP

O União Brasil vai declarar apoio à candidatura de...

Alta no querosene fará preço de passagens aéreas subir, diz Abear

O reajuste de 3,9% no preço do metro...

Osid está com 64 vagas de trabalho temporário no Centro de Panificação

As Obras Sociais Irmã Dulce estão disponibilizando 64...

Com ajuda da PM, homem finge estar sendo preso para pedir namorada em casamento

Morador do Rio de Janeiro, Marcos Veloso quis...

TCU permite que Congonhas e outros 14 aeroportos sejam leiloados e concedidos à iniciativa privada

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
21271206.153501

O Tribunal de Contas da União (TCU) deu aval nesta quarta, 1º de junho, para que governo realiza a sétima rodada de leilões de aeroportos, que concederá à iniciativa privada a administração de 15 terminais, entre eles os de Congonhas e Campo de Marte, em São Paulo. O Ministério da Infraestrutura pretende realizar o certame na primeira ou segunda semana de agosto, e estima que sejam atraídos até R$ 7,3 bilhões em investimentos. O leilão será dividido em três blocos: no ‘SP/PA/MS/MG’, estarão onze terminais, os de Congonhas (SP), Campo Grande (MS), Corumbá (MS), Ponta Porã (MS), Santarém (PA), Marabá (PA), Carajás (PA), Altamira (PA), Uberlândia (MG), Uberaba (MG) e Montes Claros (MG). Outro bloco terá o Campo de Marte (SP) e o de Jacarepaguá (RJ), e o último, os de Belém (PA) e Macapá (AP). Inicialmente, o aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, também estaria entre os concedidos, mas foi retirado da lista a pedido do governo estadual fluminense, que pretende que ele seja leiloado em conjunto com o outro aeroporto da cidade, o do Galeão.

O relator do processo, Walton Rodrigues, disse não ter encontrado nenhuma irregularidade que o fizesse ser contra a continuidade. “Acredito que todas as interações feitas entre sociedade e poder redundaram na melhor alternativa”, opinou Rodrigues, que ainda afirmou que a modelagem da 7ª rodada obedeceu a técnica dos subsídios cruzados, pela formatação dos blocos. O ministro Vital do Rêgo, que foi a principal voz contra a privatização da Eletrobras na corte, foi a favor e elogiou o processo desta vez. “Temos que falar quando ele é bem feito, hoje é uma sessão em que não vamos ter muito trabalho porque a secretaria de aviação civil e o Ministério da Infraestrutura a cada rodada de concessões vem melhorando o padrão desse subsídio cruzado”, posicionou-se. Os ministros também determinaram que a área técnica do TCU fará uma auditoria para avaliar os serviços públicos oferecidos pelas concessionárias, principalmente em critérios de qualidade, segurança e rapidez dos investimentos.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Planos de saúde registram aumento de clientes, mesmo com reajuste de preços

Mesmo diante de uma alta expressiva nos custos dos planos de saúde em junho, dados divulgados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) registram...

Brasil deve ter a maior temporada de cruzeiros dos últimos 10 anos

A temporada de cruzeiros 2022/2023 deverá ser a maior dos últimos dez anos, segundo estimativa da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos (Clia Brasil, sigla...

Fome atingiu 828 milhões de pessoas em 2021, mostra relatório da ONU

O total de pessoas afetadas pela fome em todo o mundo aumentou em 150 milhões desde o início da pandemia do novo coronavírus, alcançando...