Ana Marcela Cunha fecha patrocínio com a XP Investimentos visando Paris 2024

A baiana Ana Marcela Cunha tem um novo...

Em carreata, Jerônimo Rodrigues garante que vai ganhar no primeiro turno

O candidato ao governo da Bahia Jerônimo Rodrigues...

Mãe de Rodrigo Mussi lamenta “mudança do filho” e se defende

Mara Carvalho, mãe de Rodrigo Mussi, deu uma entrevista...

Lula nega “guerra santa” por votos: “Não faz parte da minha cultura”

Em entrevista nesta sexta-feira (19/8), em seu escritório de...

Supremo diminui acervo de processos criminais em 80%

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O Supremo Tribunal Federal (STF) informou hoje (28) que o acervo de inquéritos e ações penais diminuiu 80% em quatro anos. ebcebc

De acordo com a Corte, a diminuição ocorreu após decisão que restringiu o foro por prorrogativa de função, conhecido como foro privilegiado, para deputados e senadores.

Em maio de 2018, os ministros decidiram que os parlamentares só podem responder a um processo na Corte se as infrações penais ocorreram em razão da função e cometidas durante o mandato. Caso contrário, os processos deverão ser remetidos para a primeira instância da Justiça. 

No ano antes da decisão, 432 inquéritos e 95 ações penais estavam em tramitação no Supremo. Atualmente, estão em tramitação 68 inquéritos e 21 ações penais. 

A questão da competência para julgar parlamentares provocou diversas polêmicas e mudanças nas regras internas da Corte ao longo dos anos. 

Em 2020, o STF mudou o regimento interno e decidiu que ações penais e inquéritos devem ser julgados pelo plenário. Dessa forma, os processos criminais deixaram de ser analisados pelas duas turmas, incluindo as ações oriundas da Operação Lava Jato. Com a mudança, réus e investigados no Supremo passaram a ser julgados pelos 11 ministros. 

Em 2014, após o julgamento do processo do mensalão, o STF alterou o regimento interno pela primeira vez e transferiu para as duas turmas a competência para julgar ações penais envolvendo agentes públicos com prerrogativa de foro. A intenção dos ministros foi desafogar a pauta do plenário e acelerar o julgamento dos processos.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

Evento debate caminho para tratamento adequado das demandas de assistência à saúde

Cerca de dois terços dos tribunais possuem especialização em, ao menos, uma das varas da fazenda pública para a análise dos processos da saúde. Quando se trata de...

Justiça contraria parecer médico e nega internação de adolescente em clínica de obesidade

A Justiça baiana negou um pedido de internação em clínica especializada para tratamento de obesidade mórbida de um adolescente de 15 anos, que sofre de várias comorbidades físicas...

Direito do Trabalho Portuário precisa ser mais discutido, avaliam especialistas

As relações trabalhistas no sistema portuário brasileiro foram discutidas em Salvador, durante a 1ª Conferência do Direito do Trabalho Portuário, nesta quinta-feira (18). O tema, ainda pouco debatido...