Canela é uma verdadeira aliada da boa saúde; saiba mais!

Poucos alimentos beneficiam tanto o metabolismo e a saúde...

Primo de Wanessa Camargo diz que cantora e Dado Dolabella assumiram namoro

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Se para o grande...

Após determinação da Anvisa, Sesab diz que ainda não irá apreender lotes da losartana

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou,...

Aramari: TJ-BA aceita novamente denúncia contra prefeito por manter lixão

A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça...

STF derruba leis que obrigavam oferta de promoções a clientes antigos

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (9) invalidar leis estaduais que obrigavam prestadores de serviços contínuos a estender automaticamente descontos para clientes antigos. ebcebc

A decisão foi tomada em ações envolvendo operadoras de telefonia e instituições de ensino. Essas empresas costumam fazer promoções para atrair novos consumidores e foram obrigadas pelas normas a concederem os mesmos benefícios para clientes antigos. 

A Corte julgou ações protocoladas pela Associação das Operadoras de Celulares (Acel) e a Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen) contestando a constitucionalidade de duas leis estaduais que tratam da mesma questão, uma de São Paulo e a outra de Pernambuco. As normas definiram que novas promoções devem valer para todos os clientes. 

Prevaleceu no julgamento o voto do relator, ministro Luís Roberto Barroso, cujo voto foi no sentido de considerar a norma inconstitucional. Para o ministro, a lei interferiu no equilíbrio financeiro de contratos de concessão celebrados entre a União e as empresas privadas de telefonia, além de interferir na livre iniciativa econômica das escolas. 

“O estado de São Paulo, ao criar a obrigação para as concessionárias de serviços móveis de estender aos clientes antigos as promoções oferecidas aos novos clientes, violou a Constituição por usurpação de competência de outro ente federativo”, entendeu o ministro. 

Ao final do julgamento, o Supremo definiu uma tese que poderá ser aplicada a casos semelhantes que estão em tramitação em todo o país. 

Pelo texto, “é inconstitucional lei estadual que impõe aos prestadores privados de serviços de ensino e de telefonia celular a obrigação de estender o benefício de novas promoções aos clientes pré-existentes”. 

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Tributo em Pauta: Ainda sobre responsabilidade tributária do sócio

Responsabilidade tributária do sócio é um daqueles 'temas eternos', que sempre rendem boas discussões. Sempre haverá aquele que olhará torto por atribuir o...

Supremo diminui acervo de processos criminais em 80%

O Supremo Tribunal Federal (STF) informou hoje (28) que o acervo de inquéritos e ações penais diminuiu 80% em quatro anos.  De acordo com a Corte, a...

Justiça nega soltura dos delegados Adriana Belém e Marcos Cipriano

A Sétima Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro negou nesta terça-feira (28), por dois votos a um, a concessão de...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com