Vice-presidente do Paraguai renuncia após ser acusado de corrupção pelos EUA

SYLVIA COLOMBOBUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) - Uma acusação dos...

Acordar na madrugada para comer pode ser distúrbio de sono, diz médica

Acordar no meio da noite para revirar a geladeira...

James Hetfield, vocalista do Metallica, se divorcia

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - James Hetfield, vocalista da...

Nova Viçosa: Vice-prefeito segue hospitalizado; prefeitura corrige informação

O vice-prefeito de Nova Viçosa, no Extremo Sul,...

Sindicato dos Motoristas repudia fala de Ricardo Nunes sobre greve: ‘Age covardemente’

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
age20220423017

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas) emitiu uma nota repudiando a declaração do prefeito da capital, Ricardo Nunes (MDB) sobre a greve de ônibus realizada nesta quarta-feira, 29. Em comunicado, o Sindicato disse lamentar a posição do prefeito, que foi considerada “leviana, covarde e infeliz” pelos líderes do grupo. O presidente em exercício da entidade, Valmir Santana da Paz, conhecido como Sorriso, criticou Nunes e afirmou que o prefeito “tem agido covardemente” e terceirizado o diálogo com a categoria. “Primeiramente, cabe dizer que o prefeito tem agido covardemente, pois sempre terceiriza a sua responsabilidade em dialogar com o sindicato e reconhecer a essencialidade dos trabalhadores em transportes que estão legitimamente reivindicando os seus direitos. Outros ataques partidos do prefeito são levianos”, disse o presidente. Sorriso também afirmou que o mandatário desprezou os profissionais que trabalharam durante a pandemia nos transportes. “Foram mais de 3 mil trabalhadores contaminados e centenas de mortos pela COVID-19. Hoje os trabalhadores que tanto se doaram pedem o mínimo de reconhecimento”, concluiu.

Em entrevista à Jovem Pan News, Nunes disse ter sido pego de surpresa pela paralisação, a qual classificou como “irresponsabilidade”. “A prefeitura peticionou junto ao Tribunal Regional do Trabalho para que fosse antecipado o julgamento [do impasse entre motoristas e as empresas de ônibus], e o desembargador acatou. Está marcado para hoje, às 15 horas a decisão final, o julgamento dessa questão do dissídio dos motoristas e cobradores do transporte coletivo da cidade de São Paulo. Já estava com essa situação sendo tramitada na Justiça do Trabalho e, por isso, que a gente ficou muito indignado e [fomos] pegos de surpresa do sindicato fazer essa greve hoje, sabendo que já estava para ser decidida essa questão. Infelizmente, mais um dia, a cidade de São Paulo, dois dias dentro do mesmo mês, sofrendo com tantos problemas por conta dessa greve”, afirmou o mandatário.

Por ser considerado um serviço essencial, a justiça determina que, em caso de greve e paralisações, 80% da greve deve funcionar em horário de pico e 60% no restante do dia. Sendo assim, a ação do sindicato dos motoristas é passível de multa e penalização. “Eles não cumpriram isso da outra vez e continuam não cumprindo agora. Essa multa é uma multa do TRT de R$ 50 mil por dia, que a prefeitura já pediu que a justiça cobre. O que a gente fez aqui, pela prefeitura de São Paulo, foi não remunerar as empresas do sistema estrutural, da outra vez, em R$ 20 milhões, que seria o custo dos ônibus não saírem, mas também R$ 1,4 milhão de multa por conta do não cumprimento da realização das viagens”, disse o prefeito.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Ladrão armado invade escola e assusta alunos na Zona Norte de SP

Um homem armado invadiu uma escola em São Paulo durante o período de aulas. As câmeras de segurança captaram a ação do homem. O assalto aconteceu na sexta-feira, 12,...

‘Vendi o caminhão e vim para Portugal’: alta do diesel e inflação levam caminhoneiro a sair do país

Aumento no preço do diesel, inflação e consequente queda acentuada do poder de compra. Esses foram os principais motivos que fizeram o caminhoneiro Reinaldo Moretti, de 53 anos, deixar...

PF apreende quase 1 tonelada de maconha às margens do Rio Paraná

Durante uma ação realizada pela Polícia Federal (PF), após patrulhamento aéreo sobre o Parque Nacional da Ilha Grande, situado entre o Paraná e o Mato Grosso do Sul, os...