São Paulo x Bragantino: onde assistir ao jogo pela Série A do Brasileirão

São Paulo e Red Bull Bragantino se enfrentarão neste...

O português Vítor Pereira definitivamente “subiu no telhado”

O Palmeiras é um líder cada vez mais tranquilo;...

Eduardo Bolsonaro ironiza live de Lula: ‘Alguém do marketing vai rodar’

O deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) foi às redes sociais,...

Vitor Pereira não teme ser demitido do Corinthians: ‘Sabe quanto dinheiro tenho no banco?’

O técnico Vitor Pereira polemizou neste sábado, 13, ao...

Servidores do BC manterão greve até segunda-feira

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Em greve há quase três meses, os servidores do Banco Central (BC) manterão o movimento até a próxima segunda-feira (4). Em assembleia, a categoria decidiu continuar parada até o último dia possível para a concessão de aumentos salariais determinado pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

De acordo com o Sindicato Nacional de Funcionários do BC (Sinal), os servidores farão um ato virtual pela valorização da carreira no dia 4, com protestos contra o que consideram intransigência na postura do presidente da instituição, Roberto Campos Neto. Na terça-feira (5), os funcionários farão nova assembleia para decidir os rumos do movimento.

Pela Lei de Responsabilidade Fiscal, o Congresso precisaria aprovar, até 30 de junho, reajustes que reponham perdas com a inflação, com a lei entrando em vigor em 4 de julho. Para cumprir esse prazo, no entanto, o governo precisaria ter enviado projeto de lei ou medida provisória ao Congresso no fim de maio ou na primeira semana de junho.ebcebc

Reivindicações

Em greve desde 1º de abril, os funcionários do BC reivindicam a reposição das perdas inflacionárias nos últimos anos, que chegam a 27%. Eles também pedem a mudança da nomenclatura de analista para auditor e a exigência de nível superior para ingresso de técnicos no BC.

Em 19 de abril, a categoria suspendeu a greve, mas retomou o movimento por tempo indeterminado desde 3 de maio. Desde então, só serviços considerados essenciais estão sendo executados, como as reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom) e a divulgação do déficit primário no primeiro quadrimestre.

A divulgação de estatísticas, como o boletim Focus (pesquisa semanal com instituições financeiras), o fluxo cambial, o Relatório de Poupança e a taxa Ptax diária (taxa média de câmbio que serve de referência para algumas negociações), foi suspensa ou ocorre com bastante atraso. Projetos especiais, como a expansão do open banking e a segunda fase de consultas de saques de valores esquecidos, estão suspensos.

Desde o início do ano, diversas categorias do funcionalismo federal trabalham em esquema de operação padrão ou fazem greve porque o Orçamento de 2022 destinou R$ 1,7 bilhão para reajuste a forças federais de segurança. No fim de abril, o governo confirmou que estudava aumento linear de 5% para todo o funcionalismo, mas, no início do mês, o ministro da Economia, Paulo Guedes, descartou a concessão de reajustes em 2022.

 

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Presidente do Banco Central diz que cartão de crédito deixará de existir

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que o cartão de crédito deixará de existir em breve. Ele afirmou que o “open finance“, modalidade pela qual os...

Prefeitura de Passos oferece isenção de IPTU para fábrica da Heineken

A cervejaria Heineken contará com isenção de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para a instalação do Parque Industrial da Heineken Brasil em Passos, Sudoeste de Minas. Esse é apenas um...

Desemprego diminui no Brasil para 9,3% e atinge 10,1 milhões de pessoas

O desemprego no Brasil representou queda de 1,8 ponto percentual no trimestre encerrado em junho, na comparação com o anterior e, com isso, a taxa de desocupados passou de...