Na luta contra o rebaixamento, VP do Brasil de Pelotas mostra preocupação com arbitragem

O Brasil de Pelotas encara o Vitória, no...

Com paz selada em reunião, Bolsonaro confirma presença em posse de Moraes no TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou que irá...

RJ: polícia apreende uma tonelada de droga durante operação na Maré

Rio de Janeiro- Uma operação conjunta entre Polícia Militar...

Foto de gato selvagem caçando flamingo ganha prêmio de imagens de natureza; veja outras premiadas

A imagem impressionante de um lince-do-deserto (ou caracal) caçando...

Senado dos EUA aprova projeto de lei que restringe venda de armas e apoia segurança escolar e saúde mental

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Os Estados Unidos avançaram na noite de quinta-feira, 23, no assunto vendas de armas de fogo. Após o aumento da epidemia de violência armada no país, o Senado aprovou um projeto de lei que restringe a venda de armas e destina verbas para a saúde mental e segurança escolar. “Esta lei bipartidária ajudará a proteger os americanos”, afirmou o presidente norte-americano Joe Biden em comunicado publicado logo após a votação no Senado. “As crianças nas escolas e as comunidades estarão mais seguras graças a ela”.

Essa decisão vem horas depois da Suprema Corte derrubar a lei de Nova York de 1913 que requeria que uma pessoa comprovasse a necessidade legítima de defesa pessoal para receber permissão para o porte de armas em público e impedia os estados de restringir o direito das pessoas a possuir armas. O projeto ainda deve ser ratificado pela Câmara dos Representantes nesta sexta-feira, 24, entretanto, a nova lei não atende às demandas dos críticos das armas e do presidente Biden, mas são consideradas um avanço.

violência armada nos EUA

De janeiro até 21 de junho, os EUA registraram 278 tiroteios em massa americanos em 34 estados diferentes │Reprodução/Twitter/@GunDeaths

“O Senado dos Estados Unidos está fazendo hoje à noite algo que muitos achavam impossível até algumas semanas atrás: estamos aprovando a primeira lei significativa de segurança de armas em quase 30 anos”, disse o líder da maioria democrata no Senado, Chuck Schumer. “O projeto de lei de segurança de armas que estamos aprovando esta noite pode ser descrito por três adjetivos: bipartidário, de bom senso, salva vidas”, completou.

O projeto bipartidário teve o apoio de 50 senadores democratas e 15 republicanos e inclui: melhor verificação de antecedentes para compradores com menos de 21 anos, US$ 11 bilhões em financiamento para saúde mental, US$ 2 bilhões para programas de segurança escolar e aloca fundos para incentivar os estados a aplicar leis de “alerta” para remover armas de fogo de pessoas consideradas ameaçadoras. O senador Chris Murphy, que liderou as negociações pelos democratas, celebrou a conquista e classificou como um dia histórico. “Esta será a lei mais significativa contra a violência armada que o Congresso aprovou em três décadas”, disse no plenário.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Pai de quíntuplos é criticado por usar ‘coleita infantil’ e rebate: ‘Adestrando meus cães’

Um vídeo de Jordan Driskell passeando com seus quíntuplos de 5 anos em um aquário dos Estados Unidos viralizou na internet e dividiu opiniões. Tudo porque uma parte dos...

Turista americana é estuprada em banheiro público no centro de Paris

Uma turista americana de 27 anos foi estuprada no último sábado, 6, dentro de um banheiro público no centro de Paris, na França, enquanto fazia um passeio noturno à...

Menina de 12 anos salva de casar com homem de 70 anos antes da cerimônia

Uma menina de 12 anos foi salva de casar com um homem de 70 anos, contra a sua vontade, momentos antes da cerimônia no Quênia.  A notícia foi divulgada pelo...