Na luta contra o rebaixamento, VP do Brasil de Pelotas mostra preocupação com arbitragem

O Brasil de Pelotas encara o Vitória, no...

Com paz selada em reunião, Bolsonaro confirma presença em posse de Moraes no TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou que irá...

RJ: polícia apreende uma tonelada de droga durante operação na Maré

Rio de Janeiro- Uma operação conjunta entre Polícia Militar...

Foto de gato selvagem caçando flamingo ganha prêmio de imagens de natureza; veja outras premiadas

A imagem impressionante de um lince-do-deserto (ou caracal) caçando...

‘Precedente perigoso’: decisão de aborto nos EUA preocupa ativistas

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
A decisão da Suprema Corte dos Estados Unidos na manhã desta sexta-feira (24/6)  que acabou com a garantia do direito ao aborto legal no país preocupa especialistas e ativistas brasileiros.
O direito tinha sido conquistado em 1973, em uma decisão histórica da Corte norte-americana que ficou conhecida como o caso Roe vs. Wade. Os EUA foram um dos pioneiros no mundo e nas Américas a legalizar o aborto.
De acordo com a pesquisadora e advogada da Anis – Instituto de Bioética, Gabriela Rondon, a decisão dos EUA pode lançar um “precedente muito perigoso” para outros países. “Sempre há a possibilidade de retrocesso. Por muito tempo se considerou que era um direito garantido, consolidado, e mesmo assim foi possível reverter”, disse.
A advogada comenta também sobre o papel das cortes nos países, que não estaria sendo cumprido. “É um enquadramento perverso, porque o papel das cortes é questionar as leis quando for observado que elas causam mais danos que proteção de direitos, como é por exemplo a proibição do aborto, que não diminui a prática e coloca mulheres em risco de vida”, explicou.

Impacto na América Latina

A especialista explica que as Cortes latino-americanas têm tido entendimentos menos conservadores na garantia de direitos fundamentais.
“Embora tenhamos o temor de que isso possa influenciar o nosso STF, temos exemplos muito robustos, como na Colômbia e no México, de que as cortes latino-americanas têm tido outra compreensão sobre direitos fundamentais de gênero que podem fazer frente à essa ameaça”, comentou Gabriela
Leia também: o que diz a lei sobre aborto no Brasil?

O direito ao aborto foi conquistado por meio da disputa judicial recentemente na Colômbia, em fevereiro de 2022. Uma votação da Suprema Corte colombiana aprovou, por 5 votos a 4, a legalização do aborto até a 24ª semana de gestação.

Já no México, o aborto foi descriminalizado em setembro de 2021, também em uma decisão da corte que declarou como inconstitucional a lei que determinava pena de prisão à quem praticasse. 

A notícia da decisão nos Estados Unidos tem repercutido nas redes sociais e divide opiniões.

*Estagiária sob supervisão do editor-assistente Rafael Alves

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

PF deflagra operação contra fraudes bilionárias envolvendo criptomoedas

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (11/8), a quarta fase da Operação Kryptos, que investiga fraudes bilionárias envolvendo criptomoedas. Ao todo, os policiais cumpriram cinco  mandados de...

Oito homens morrem em troca de tiros com a Polícia Militar em Curitiba

Oito homens foram mortos pela Polícia Militar do Paraná (PMPR) em Curitiba, capital do Estado, na madrugada desta quinta-feira, 11. Segundo a corporação, havia a suspeita de que eles...

Frente fria pode trazer ventania e ressaca à cidade do Rio de Janeiro

O Sistema Alerta Rio informa que a passagem de uma frente fria poderá causar chuva fraca a moderada e ventos moderados a fortes a partir desta quarta-feira (10). Além...