Fabio Vidal estreia monólogo na Sala do Coro do TCA

O ator, autor e diretor Fabio Vidal celebra...

Horóscopo de 1/7: veja previsões para esta sexta

Data estelar: Marte e Plutão em quadratura. Nunca saberemos...

Kátia Alves critica falta de comando na segurança pública da Bahia

A pré-candidata a deputada federal, delegada Kátia Alves...

A nova gafe de Rui, o clima azedo com o MDB na base e o imbróglio nas lanchinhas

2 de Julho vem aí Uma centena de...

Por gritos homofóbicos, Corinthians pode perder pontos no Série A

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Denunciado pela procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o Corinthians vai ser julgado na próxima quinta-feira (23) por conta de gritos homofóbicos proferidos por parte da torcida durante o clássico contra o São Paulo, no dia 22 de maio, na Neo Química Arena, e pode perder pontos no Brasileirão.

Os gritos foram relatados em súmula pelo árbitro  Wilton Pereira Sampaio. Wilton registrou ainda que foram arremessados objetos como moedas e um isqueiro no lateral Reinaldo, do São Paulo. 

O Corinthians foi enquadrado no artigo 243 – G do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que trata sobre “praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência”.

A pena máxima para a infração é a perda de três pontos e multa de até R$ 100 mil. Logo após o jogo contra o São Paulo, o presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, se manifestou e reprimiu os torcedores pelos gritos homofóbicos. 

“A gente é totalmente contrário a este tipo de cântico, da mesma forma que falei do racismo. A gente vem conversando com os torcedores, fazendo campanhas contra a homofobia. Hoje, todas as vezes que a torcida cantou, colocamos no telão, a locutora do estádio reprimiu, porque não achamos correto. O futebol está mudando no próprio jogo, hoje depois dos avisos a torcida mudou o canto. Temos que insistir, vocês (imprensa) são importantes nisso para que a gente acabe com qualquer tipo de discriminação. Estamos em 2022, isso não faz sentido”, disse ele na época.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Feira de Santana: Bolsonaro leva Roma em garupa durante motociata

Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) deram início à motociata, modalidade de passeio feito por motocicletas que têm sido realizadas pelo mandatário da...

Copa 2 de Julho começa neste sábado em Salvador e Região Metropolitana

Maior competição de futebol de base do Brasil, a Copa 2 de Julho Sub-15 começa neste sábado (2) com jogos em Salvador e...

Em novo trecho, Nelson Piquet repete racismo e usa termo homofóbico contra Hamilton; assista

Nelson Piquet voltou a sofrer críticas nas redes sociais após um novo trecho da entrevista concedida ao jornalista Ricardo Oliveira, concedida no ano passado,...