Na luta contra o rebaixamento, VP do Brasil de Pelotas mostra preocupação com arbitragem

O Brasil de Pelotas encara o Vitória, no...

Com paz selada em reunião, Bolsonaro confirma presença em posse de Moraes no TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou que irá...

RJ: polícia apreende uma tonelada de droga durante operação na Maré

Rio de Janeiro- Uma operação conjunta entre Polícia Militar...

Foto de gato selvagem caçando flamingo ganha prêmio de imagens de natureza; veja outras premiadas

A imagem impressionante de um lince-do-deserto (ou caracal) caçando...

Polícia tenta identificar mulher suspeita de abandonar bebê na Santa Casa

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Uma mulher suspeita de abandonar um recém-nascido, na manhã desta sexta-feira (24/6), aparece nas imagens do circuito interno do Centro de Especialidades Médicas da Santa Casa, no bairro Santa Efigênia, Região Centro-Sul de BH, onde a criança foi encontrada.

Segundo o delegado Diego Lopes, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente, o bebê foi deixado no saguão onde pessoas com consultas marcadas aguardam atendimento.

Um paciente encontrou o bebê após entrar no banheiro masculino. “Imediatamente, ele chamou uma funcionária da faxina da Santa Casa, que, ao perceber que se tratava de uma criança, acionou o corpo médico e de enfermagem, prestando os primeiros socorros ao bebê”, afirmou o delegado. 

Lopes disse que a criança está bem, foi transferida para a maternidade do hospital e apresenta um quadro de saúde estável. “Ela está bem nutrida; inclusive, médicos e enfermeiros entendem que a criança estava alimentada no momento em que ela foi deixada”, relatou.

Para entrar no Centro de Especialidades, é preciso agendar consulta. E, como enfatizou o delegado, por via de regra, as pessoas precisam se identificar. Após verificar as câmeras do circuito interno, os investigadores chegaram a uma possível suspeita. 

“Ela carregava um cobertor, com características de ser uma criança. Essa pessoa permaneceu no saguão por quase 40 minutos, percebeu que o banheiro feminino estava interditado para limpeza, entrou no banheiro de acessibilidade e saiu rapidamente. Posteriormente, entrou no banheiro masculino, onde ficou por 20 minutos. Depois, saiu carregando o cobertor, mas que nitidamente não tinha o volume característico do corpo de uma criança”, afirmou.

Ao analisar as imagens do exterior do local, os investigadores perceberam que ela guardou o cobertor em uma sacola.

Linhas de investigação e possíveis crimes

A Polícia Civil trabalha com duas linhas principais de investigação: a de que a mulher acessou o local e se identificou ou a de que ela simulou que marcaria uma consulta e, aproveitando o descuido dos funcionários, entrou neste setor, sem precisar dizer quem era.  

De acordo com o delegado, somente depois que a suspeita for identificada é que os investigadores tentarão entender os motivos que levaram ao abandono do bebê.

“Sabemos que não são poucas as parturientes que, após darem à luz, entram em um quadro de sofrimento psiquiátrico e que pode ter desencadeado essa ação. Mas acreditamos que ela possa ter escolhido o lugar onde a criança pudesse receber os primeiros cuidados de forma rápida e adequada”, disse.

Se a suspeita for identificada e tiver mesmo abandonado o bebê, poderá responder por abandono de incapaz ou, dependendo do contexto, por tentativa de infanticídio. Os investigadores analisam se vão fazer a divulgação das imagens para ajudar na identificação da suspeita.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Defesa Civil alerta para umidade do ar abaixo de 30% até segunda (15/8)

Uma massa de ar seco chega a Belo Horizonte e vai provocar queda nos índices de umidade do ar até a tarde de segunda-feira (15/8). De acordo com a...

Bombeiros combatem incêndio em galpão de carvão

Cerca de 20 militares do Corpo de Bombeiros estão empenhados no combate a um incêndio em um galpão de armazenamento de carvão.O galpão fica no Bairro Várzea Alegre, em...

Homem que teve a prorrogação da licença-paternidade negada será indenizado

Enfermeiro que teve a prorrogação da licença-paternidade negada pela empregadora, em Belo Horizonte, receberá uma indenização de R$ 10 mil por danos morais. A decisão é dos desembargadores da...