Na luta contra o rebaixamento, VP do Brasil de Pelotas mostra preocupação com arbitragem

O Brasil de Pelotas encara o Vitória, no...

Com paz selada em reunião, Bolsonaro confirma presença em posse de Moraes no TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou que irá...

RJ: polícia apreende uma tonelada de droga durante operação na Maré

Rio de Janeiro- Uma operação conjunta entre Polícia Militar...

Foto de gato selvagem caçando flamingo ganha prêmio de imagens de natureza; veja outras premiadas

A imagem impressionante de um lince-do-deserto (ou caracal) caçando...

Piquet se desculpa, mas diz que termo racista é usado no Brasil como ‘sinônimo de cara’

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O ex-piloto Nelson Piquet emitiu comunicado em inglês pedindo desculpas fala racista ao se referir ao britânico Lewis Hamilton, da Mercedes (lembre aqui). O tricampeão de Fórmula 1 disse que não teve intenção de ofender o heptacampeão e que nem faria uma defesa, mas destacou que o termo é “historicamente usados de forma coloquial no português brasileiro como sinônimo de ‘cara’ ou ‘pessoa'”.

 

“O que eu disse foi mal pensado, e eu não vou me defender por isso, mas eu vou deixar claro que o termo é um daqueles largamente e historicamente usados de forma coloquial no português brasileiro como sinônimo de ‘cara’ ou ‘pessoa’ e nunca com intenção de ofender. Eu nunca usaria a palavra que estou sendo acusado em algumas traduções”, diz a nota.

 

Na entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira para o canal Motorsports Talk, no dia 3 de novembro de 2021, Piquet se referiu a Hamilton como “neguinho” ao comentar o acidente entre ele e Max Verstappen, da Red Bull, no Grande Prêmio de Silverstone em 2021. Os dois se tocaram e o holandês levou a pior, rodou na pista, passou em alta velocidade pela brita e acertou em cheio a barreira de pneus. Ele deixou o carro com ajuda dos fiscais e estava visivelmente tonto. Após interrupção por mais de 40 minutos, o piloto da Mercedes seguiu na disputa e venceu a corrida. O brasileiro disse que não usou a palavra de forma a menosprezar o heptacampeão.

 

“Condeno veementemente qualquer sugestão de que a palavra tenha sido usada por mim com o objetivo de menosprezar um piloto por causa de sua cor de pele. Eu me desculpo com todos que foram afetados, incluindo Lewis, que é um grande piloto, mas a tradução em algumas mídias e que agora circula nas redes sociais não é correta. Discriminação não tem espaço na F1 ou na sociedade e estou feliz em deixar claro meus pensamentos sobre isso”, completou.

 

Professor da FGV, o advogado Thiago Amparo explicou que o termo “neguinho”, usado por Piquet, é racista por inferiorizar pessoas negras.

 

“O uso da palavra ‘neguinho’ é uma forma comum de racismo no Brasil porque é empregada em especial para ressaltar algo de errado que se pensa que alguém fez, como quem diz que tal pessoa só poderia ter feito aquilo por ser negra. É uma palavra que, no diminutivo e no contexto, serve para reduzir de forma paternalista pessoas negras a inferiores intelectualmente”, esclareceu em entrevista à BBC.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Crítico de Bolsonaro, Ciro vê distinção nas ausências de Neto e do presidente em debates

Em Salvador na manhã desta quinta-feira (11), Ciro Gomes (PDT) foi questionado pelo Bahia Notícias sobre a ausência de ACM Neto - a quem ele já declarou "apoio...

Na luta contra o rebaixamento, VP do Brasil de Pelotas mostra preocupação com arbitragem

O Brasil de Pelotas encara o Vitória, no próximo sábado (13), às 17h, no Barradão, pela 19ª e última rodada da Série C do Brasileiro, na luta contra...

Luva de Pedreiro é ‘anunciado’ pelo Atlético de Madrid e gera dúvidas de torcedores: ‘Joga em qual posição?’

O influenciador Iran Ferreira, mais conhecido como Luva de Pedreiro, foi “anunciado” como novo reforço do Atlético de Madrid. Na Espanha para realizar compromissos comerciais, o fenômeno da web...