Devido orientação médica, Os Barões da Pisadinha cancelam shows em municípios da Bahia

A banda Os Barões da Pisadinha precisou cancelar...

Justiça condena ginecologista a 16 anos de prisão por abusar pacientes em consultas

A 1ª Vara Judicial da Comarca de Canguçu...

Autor do gol, Diego Torres vibra com vitória do Novorizontino sobre o Bahia

O Novorizontino surpreendeu o Bahia e venceu o...

Oito pessoas são presas em operação que investiga fraudes milionárias em processos judiciais

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Oito pessoas foram presas, na manhã dessa terça-feira (7), durante a operação “Turandot”, que investiga fraudes milionárias em processos judiciais em trâmite na comarca de Paulo Afonso, supostamente praticados por organização criminosa formada por juiz aposentado, advogados, serventuários e particulares. Três prisões ocorreram em Salvador, quatro em Paulo Afonso e uma em Aracaju, no estado de Sergipe. A operação é realizada pelo Ministério Público estadual, por meio do Grupo de Apoio Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e é a terceira etapa da ‘Operação Inventário’, batizada de “Turandot”, para cumprimento de oito mandados de prisão preventiva decretados pela 1ª Vara Criminal de Paulo Afonso.  

Segundo as denúncias oferecidas pelo Gaeco e já recebidas pela Justiça, um dos principais alvos da operação seria responsável por forjar alvarás de inventário fraudulentos, preso nesta terça-feira, movimentou mais de R$ 50 milhões em renda descoberta, ou seja, em recursos não declarados. Parte do montante, apontam as investigações, foi repassada por meio do uso de “laranjas” e, inclusive, destinada para compra de imóveis de luxo na Flórida, nos Estados Unidos, avaliados em mais de R$ 5 milhões. Durante as investigações, foram identificados diversos saques em espécie em valor acima de R$ 100 mil.

A terceira fase da ‘Operação Inventário’ é fruto de esforço conjunto do Ministério Público da Bahia, por meio do Gaeco; da Polícia Civil, por meio da 18ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin – Paulo Afonso); e da Polícia Militar, por meio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Grupamento Aéreo (Graer). Também contou com o apoio da Força-Tarefa de combate a crimes praticados por policiais civis e militares, das Corregedorias da Secretaria de Segurança Pública da Bahia e da Polícia Militar, do Gaeco do Ministério Público de Sergipe e da Ordem dos Advogados do Brasil. 

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bolsonaro estava com ministro da Justiça nos EUA quando ligou para Ribeiro

O presidente Jair Bolsonaro estava em viagem aos Estados Unidos quando, segundo o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, ligou para alertar que o...

‘Seguiremos atentos às investigações’, diz viúva de Dom Phillips

"Seguiremos atentos a todos os desdobramentos das investigações, exigindo Justiça", disse Alessandra Sampaio, viúva do jornalista inglês Dom Phillips, assassinado no Vale do...

Autor de chacina é preso enquanto curtia São João na Bahia

Um homem suspeito de ser um dos responsáveis por uma chacina que matou cinco pessoas em abril foi preso enquanto curtia uma festa...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com