Operação resgata gestante de trabalho escravo doméstico que nunca recebeu salário

Uma mulher foi resgatada de trabalho escravo doméstico,...

‘Não tenho medo de nada’, diz técnico do Paysandu sobre quadrangular da Série C

Classificado na segunda colocação, o Paysandu ficou no...

Assaltantes devolvem celular e dinheiro após descobrir que vítima era esposa de líder do PCC

Criminosos que roubaram celular e dinheiro de uma...

Paula Belmonte aguarda TSE para saber se sairá candidata ao GDF

Nos 45 minutos do segundo tempo para o fim...

Ministro da Justiça nega ter falado com Bolsonaro sobre operação da PF contra Ribeiro

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, negou neste domingo, 26, que tenha conversado com o presidente Jair Bolsonaro sobre a Operação Acesso Pago contra o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, durante viagem aos Estados Unidos. Torres classificou como “especulação” a suspeita de que possa ter repassado a Bolsonaro informações a respeito da investigação da Polícia Federal sobre o gabinete paralelo do Ministério da Educação (MEC).

“Diante de tanta especulação sobre minha viagem com o presidente Bolsonaro para os EUA, asseguro categoricamente que, em momento algum, tratamos de operações da PF. Absolutamente nada disso foi pauta de qualquer conversa nossa, na referida viagem”, afirmou Torres, em seu perfil oficial no Twitter. O ministro não esclareceu se tratou dos planos da PF e da investigação com o presidente antes ou depois da viagem aos Estados Unidos.

Foi a primeira manifestação do ministro da Justiça sobre o caso. Até então, Bolsonaro, Presidência da República e Ministério da Justiça não haviam se pronunciado.

O Ministério Público Federal encontrou indícios de que o presidente Bolsonaro possa ter interferido ilegalmente na investigação e que a operação da PF vazou. Por isso, o caso foi enviado ao Supremo Tribunal Federal.

O delegado responsável pelo caso, Bruno Calandrini, diz que houve tratamento privilegiado ao ex-ministro da Educação Milton Ribeiro por parte da cúpula da PF. Ele disse não ter autonomia para tocar a investigação.
 
Preso na operação, o ex-ministro Milton Ribeiro disse que o presidente o contou, em um telefonema, que acreditava que havia chances de busca e apreensão contra ele. O diálogo foi interceptado pela Polícia Federal, subordinada a Torres.
 
“Hoje o presidente me ligou Ele tá com um pressentimento novamente, que eles podem querer atingi-lo através de mim, sabe? Ele acha que vão fazer uma busca e apreensão em casa”, relatou o ex-ministro em ligação com a filha. No dia da chamada, 9 de junho, Bolsonaro estava em viagem aos Estados Unidos. Anderson Torres acompanhou a comitiva presidencial na visita.
 
Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos na quarta-feira, 22, na Operação Acesso Pago, que chegou a prender, além de Milton Ribeiro, os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura. Eles foram liberados após habeas corpus para aguardar as investigações em liberdade.
 

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Assaltantes devolvem celular e dinheiro após descobrir que vítima era esposa de líder do PCC

Criminosos que roubaram celular e dinheiro de uma mulher na marginal Tietê, em São Paulo, devolveram os pertences após descobrirem que a vítima era Cynthia Giglioli Herbas Camacho,...

Paula Belmonte aguarda TSE para saber se sairá candidata ao GDF

Nos 45 minutos do segundo tempo para o fim do prazo para registro das candidaturas junto à Justiça Eleitoral, a deputada federal Paula Belmonte (Cidadania) aguarda uma decisão do...

Eduardo Bolsonaro reclama da Anvisa por máscaras em voos: ‘Será eterna?’

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) foi às redes sociais, nesta segunda-feira (15/8), reclamar da obrigatoriedade do uso de máscaras durante viagens de avião. Mesmo com a flexibilização da proteção...