Morre Felipe Carauta, ex empresário de Caio Castro e Klebber Toledo

O meio artístico acaba de sofrer uma grande perda....

Técnico do Vasco aposta em evolução de Alex Teixeira na equipe

Principal reforço do Vasco nesta janela do mercado da...

Famosos fazem homenagens para família e comemoram o Dia dos Pais

CAMPINAS, SP (FOLHAPRESS) - Como em todas as datas...

Luís Eduardo Magalhães: Homem é morto a tiros enquanto jogava sinuca em bar 

Um homem foi morto a tiros na noite...

Ministério da Saúde vai debater condutas e diretrizes em casos de aborto

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
design sem nome 2

O Ministério da Saúde planeja realizar uma audiência pública na próxima semana para discutir condutas e diretrizes em casos de abortos no Brasil. Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News, o secretário de Atenção Primária da pasta, Raphael Câmara, falou sobre os objetivos da reunião. “Lançamos recentemente a nova diretriz de conduta em caso de abortamento, feita para avaliar as condutas médicas e também para ajustar a nova legislação. Em 2018, surgiu a Lei de Violência Sexual, que obriga o médico a denunciar em caso de estrupo. Não é denunciar o aborto e não é denunciar a mulher, é o estupro.”

O posicionamento da pasta da Saúde acontece após repercutir o caso da garota de  11 anos, de Santa Catarina, vítima de estupro, que foi impedida de realizar a interrupção da gravidez pelo tempo de gestão. A criança foi encaminhada a um abrigo por determinação da juíza Joana Ribeiro Zimmer, para que não operasse “algum procedimento para operar a morte do bebê”, o que causou indignação social e levou ao afastamento da magistrada do caso. Depois da repercussão, o Ministério Público Federal (MPF) recomendou recomendou ao Hospital Universitário Polydoro Ernani de São Thiago realizasse a interrupção da gravidez e o procedimento ocorreu nesta quarta-feira, 22.

Segundo Raphael Câmara, a recomendação do Ministério da Saúde é que todos os casos de estupro sejam denunciados, tanto por profissionais da saúde que atendam a vítima quanto por qualquer outra pessoa que tenha conhecimento do crime. “A conduta é denunciar. Muitas vezes a pessoa que sofreu o estupro não tem condições e quem tem conhecimento tem obrigação de denunciar. Lei de violência sexual é para qualquer pessoa que tenha consciência do crime.”

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Noivos são roubados após festa de casamento e lua de mel é adiada

Um casal de São Paulo passou por um susto após voltar da festa de seu casamento. A auxiliar administrativo Nataly Ester Correa da Silva, de 20 anos, e...

Cresce o número de pais solo no Brasil, e especialista diz que ‘desafios são grandes’

O Dia do Pais de 2022 é comemorado neste domingo, 14 de agosto. Essa data é simbólica, merecida, mas todo dia é dos pais, assim como todo dia é...

Mega-Sena: 4 apostadores dividem o prêmio e “faturam” R$ 6,6 milhões, cada

Quatro apostadores acertaram as seis dezenas sorteadas ontem (13/08) no concurso 2510 da Mega-Sena. O prêmio estimado de R$ 27 milhões foi dividido entre os quatro sortudos, que levaram exatos...