Multicampeão no São Paulo, Richarlyson assume bissexualidade

Foto: Reprodução / Instagram ...

Roberto Jefferson vira réu por homofobia após votação virtual do STF

O ex-deputado federal Roberto Jefferson virou réu por homofobia,...

Confronto entre policiais e indígenas deixa feridos em Amambai (MS)

Na tarde de quinta-feira (23/06), o povo indígena Guarani...

IPCA-15: inflação é de 0,69% em junho, puxada pelos planos de saúde

 A prévia da inflação, medida pelo Índice Nacional de...

Livro reúne relatos de parto sem dor

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Lançamento A jornalista e empresária Fernanda Carvalho conheceu o  ginecologista e obstetra Gerson de Barros Mascarenhas em 2005, quando já tinha 90 anos e quatro antes de sua morte. A aproximação, além da influência na vida pessoal, fez com que Fernanda escrevesse o livro  A Luz da Maternidade, Relatos de Parto Sem Dor Conduzidos por Gerson de Barros Mascarenhas (Editora Inverso, R$ 44 (234 páginas), que tem lançamento presencial  nesta quarta-feira (8), às 18h, na livraria Escariz do Shopping Barra. 

“Toda mulher enfrenta o medo do parto. As mulheres que foram atendidas por Dr. Gerson tiveram histórias diferentes para contar. Apesar de eu não ter sido paciente, aprendi com ele o método do parto sem dor”, afirma Fernanda Carvalho, 44 anos. Ela conheceu o médico há  19 anos, quando estava grávida do seu primeiro filho. “Ele não fez o parto dos meus filhos, mas marcou definitivamente a chegada de Lucca e João Pedro ao mundo”. 

Ela explica que no método psicoprofilático, adotado pelo especialista, a base é o conhecimento. E que nas décadas de 1960 e 1970 o Dr. Gerson já realizava reuniões com suas pacientes, para esclarecer todas as dúvidas que giram em torno do momento do parto. Segundo Fernanda, ela deixava as mulheres seguras para entender que o parto era um ato fisiológico e que podiam fazer com que aquele processo não fosse doloroso, aplicando exercícios de relaxamento e técnicas de respiração.

Para a jornalista, o médico se diferenciava dos obstetras da época não só pelo parto sem dor, mas pela sensibilidade na atuação: “Dr. Gerson exercia a medicina como uma religião, uma devoção missionária, em prol do alívio do sofrimento das pessoas”, conta.

Além da destacada trajetória profissional, Gerson Mascarenhas lutou pelo respeito à vida também na cena política. Acusado de comunista, ele foi preso na ditadura e defendido, à época, por Irmã Dulce, que tinha convocado o médico espírita para ser diretor do seu hospital filantrópico. À frente da Associação Bahiana de Medicina, deu importante contribuição para o movimento de renovação médica no estado. Amanhã, às 18h, na Livraria Escariz (Shopping Barra).

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Carro destrói casa após colisão às 7h da manhã

Por volta das 7h da manhã, um HB20 vermelho se chocou com casa na esquina da rua Direta do Uruguai com a rua...

Homens armados fazem reféns em imóvel em Conceição do Jacuípe

Homens armados e encapuzados invadiram uma casa em Conceição do Jacuípe, no centro-norte do estado, na madrugada desta sexta-feira (24). Um grupo de...

São João: Nove pessoas são presas na Bahia com ajuda do reconhecimento facial

Nove pessoas já foram presas durante as festas de João na Bahia com ajuda do Sistema de Reconhecimento Facial da Secretaria da Segurança...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com