Na Praia volta em novo endereço e com programação para toda a família

Após dois anos de hiato, o Na Praia volta...

Dono de boliche acusado de homofobia é perito da Polícia Federal

Um dos donos do estabelecimento Capitão Boliche, denunciado por...

CPI em Uberlândia investiga contratos da Secretaria de Saúde

Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) vai investigar contas...

Varíola dos macacos: MG deve ‘evitar transmissão’, diz especialista

O primeiro caso de monkeypox - agente responsável por...

Justiça decreta prisão de suspeito em caso de desaparecimento

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

A Justiça decretou, na noite dessa quinta-feira (9), a prisão temporária por 30 dias de Amarildo da Costa de Oliveira, 41 anos, conhecido como “Pelado”. Ele foi  preso em flagrante terça-feira pela Polícia Federal, suspeito de estar envolvido no desaparecimento do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira. Foram encontrados vestígios de sangue em sua embarcação. O material coletado foi encaminhado para análise da perícia em Manaus.ebcebc

A lancha de Amarildo teria sido vista por testemunhas perseguindo o barco em que estavam o jornalista e o indigenista quando saíram da comunidade de São Rafael.

Dom Phillips, que é colaborador do jornal britânico The Guardian, e Bruno Pereira, servidor licenciado da Funai, foram vistos pela última vez na manhã de domingo na região da reserva indígena do Vale do Javari. Eles se deslocavam da comunidade ribeirinha de São Rafael para a cidade de Atalaia do Norte, quando desapareceram. 

A decisão de decretar a prisão temporária, a pedido da Polícia Federal, foi tomada pela juíza plantonista Jacinta Santos durante a audiência de custódia na Comarca de Atalaia do Norte. O processo segue em segredo de justiça.

Amarildo foi preso durante uma abordagem por posse de drogas e munição, de uso restrito. Ele também estava portando armamento de caça. 

O indigenista já havia denunciado que estaria sofrendo ameaças na região. Essa informação foi confirmada pela PF, que abriu investigação. Bruno Pereira estava atuando como colaborador da Unijava – União das Organizações Indígenas do Vale do Javari, uma entidade mantida pelos próprios indígenas da região.

O Vale do Javari concentra 26 etnias indígenas, a maioria com índios isolados ou de contato recente. Além disso, fica na fronteira com o Peru e é rota de circulação do tráfico internacional de drogas. É uma região considerada perigosa pelas autoridades. 

*Com informações da Agência Brasil

 

Geral Brasília 10/06/2022 – 11:29 Rádio Nacional/ Marizete Cardoso Ana Lúcia Caldas – Repórter da Rádio Nacional Dom Phillips Bruno Pereira desaparecidos na Amazônia sexta-feira, 10 Junho, 2022 – 11:29 2:21

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com