Thaciano volta ao Grêmio e ficará disponível a partir de 18 de julho

O volante Thaciano, ex-Bahia, está de volta ao...

Ex-BBB Carla Diaz relembra diagnóstico de câncer: “Precisei me fechar”

A atriz Carla Diaz usou as redes sociais na...

Consórcio que administra Maracanã proíbe faixas do Vasco

O consórcio Maracanã, que administra o estádio, impediu...

Juiz aposentado e outras sete pessoas são presas na terceira fase da Operação Inventário

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O juiz Rosalino dos Santos Almeida e mais sete pessoas foram presas durante a terceira fase da Operação Inventário, deflagrada na manhã desta terça-feira (7), em Salvador, Paulo Afonso e Aracaju (SE).  Batizada de “Turandot”, a nova fase investiga fraudes milionárias em processos judiciais em trâmite na comarca de Paulo Afonso, supostamente praticados por organização criminosa formada pelo juiz aposentado e por advogados, serventuários e particulares. Entre os alvos dos mandados de prisão está o filho do magistrado aposentado, Alexandre de Souza Almeida.

 

Mesmo aposentado, Rosalino responde a processos administrativos disciplinares no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) (saiba mais aqui).  O ex-juiz foi magistrado por quase 30 anos em Paulo Afonso, no norte da Bahia.

 

Segundo as denúncias oferecidas pelo Grupo de Apoio Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e já recebidas pela Justiça, um dos principais responsáveis na Orcrim por forjar alvarás de inventário fraudulentos, preso hoje, movimentou mais de R$ 50 milhões em renda descoberta, ou seja, em recursos não declarados. Parte do montante, apontam as investigações, foi repassada por meio do uso de “laranjas” e, inclusive, destinada para compra de imóveis de luxo na Flórida, nos Estados Unidos, avaliados em mais de R$ 5 milhões. Durante as investigações, foram identificados diversos saques em espécie em valor acima de R$ 100 mil.

 

A terceira fase da ‘Operação Inventário’ é fruto de esforço conjunto do Ministério Público da Bahia, por meio do Gaeco; da Polícia Civil, por meio da 18ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Coorpin – Paulo Afonso); e da Polícia Militar, por meio do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do Grupamento Aéreo (Graer). Também contou com o apoio da Força-Tarefa de combate a crimes praticados por policiais civis e militares, das Corregedorias da Secretaria de Segurança Pública da Bahia e da Polícia Militar, do Gaeco do Ministério Público de Sergipe e da Ordem dos Advogados do Brasil. (Atualizada às 10h28)

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Após bug em foto de Lula, bolsonaristas sugerem edição e petista apresenta ‘prova’

Um bug (erro) gerado por um recurso de fotografia gerou uma teoria da conspiração entre os eleitores do presidente Jair Bolsonaro neste sábado...

Consórcio que administra Maracanã proíbe faixas do Vasco

O consórcio Maracanã, que administra o estádio, impediu o Vasco de exibir faixas institucionais na partida contra o Sport, pela 15ª rodada da...

Lula sobre PEC Kamikaze: ‘Igual sorvete: chupou, acabou’

 Em viagem a Salvador, Bahia, neste sábado (2/7), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) criticou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC)...