Ciro diz que anúncio de vice só será feito durante convenção do PDT, no fim de julho

Cumprindo agenda em Salvador nesta sexta-feira (1), o...

Preço da gasolina segue em queda no DF e pode ser encontrado a R$ 6,69

O preço praticado da gasolina entra no primeiro dia...

‘Não se priorizou o combate à fome no Brasil’, diz representante da FAO no país

Para o representante da Organização das Nações Unidas para...

Os riscos às contas públicas de PEC que turbina gastos sociais em ano eleitoral

O Senado aprovou nesta quinta-feira (30/6) a PEC (proposta de emenda...

Híbrido plug-in: Volvo amplia a capacidade das baterias e atualiza motores do XC60 e XC90

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Situações extremas são interessantes para avaliação, pois aproximam os produtos do seu limite. Uma delas é rodar com a sensação de menos 10 graus celsius na Patagônia, região sul da Argentina. Foi essa a experiência que a Volvo proporcionou na apresentação da linha 2023 do XC60 e XC90, modelos que tiveram o conjunto propulsor atualizado.

Todos os motores, tanto o a combustão, quanto o elétrico, ganharam mais potência. O elétrico teve um incremento de 65%, chegando a 145 cv. Já a capacidade da bateria foi ampliada em 62%. Isso se reflete diretamente na autonomia dos modelos, que passam a ter cerca de 78 quilômetros no XC60 (+73%) e cerca de 71 km no XC90 (+61%).

Dê play e confira a avaliação do XC60

Acontece que, para o rendimento ideal, a bateria precisa estar a 35 graus celsius, nessa temperatura, o veículo não consome energia para aquecer ou resfriar o sistema. E, ainda assim, é preciso levar em conta outras variáveis, como o pé do motorista. Isso mesmo: como em um veículo a gasolina, quanto mais o condutor força o acelerador, maior será o consumo.

Nesse cenário, recebi inicialmente um XC60 com carga completa de bateria – para isso o SUV passou algumas horas plugado na tomada. E, mesmo com uma situação adversa, foi possível percorrer 74 km exclusivamente em modo elétrico. Mérito também do sistema de regeneração, que reaproveita como carga a energia excedente de uma frenagem, por exemplo.

Os SUVs foram avaliados em situações extremas na Patagônia, sul da Argentina

Mesmo que você acelere muito e tenha à disposição 60 km entre uma recarga e outra, é possível cumprir um trajeto diário de casa ao trabalho – e vice-versa – sem consumir gasolina. Com mais pessoas dirigindo no modo puramente elétrico, a Volvo Cars estima uma redução de 50% na emissão de CO2 na atmosfera.

Outra atualização que contribui para a eficiência energética é o sistema One Pedal Drive. Com ele, o motorista usa somente o pedal do acelerador para acelerar e frear o carro. Basta pressionar para acelerar e tirar o pé para frear. Só faltou a empresa instalar um atalho para essa função, para ativá-la é preciso percorrer alguns passos na tela central.

O motor a combustão também está sempre à disposição do motorista e com rendimento maior. Combinados, ele e a máquina elétrica, ganharam 14% a mais de potência, passando de 407 cv para 462 cv, com um torque de 72,3 kgfm. A transmissão é automática de oito velocidades.

Além da propulsão
A atualização dos dois SUVs também é vista no interior, com a incorporação do sistema da Google – assim como já ocorria no XC40 e C40, modelos completamente elétricos da marca sueca. Assim, estão inclusos internet integrada, aplicativos e serviços do Google.

Com o Google Assistente, os motoristas podem usar a voz para passar comandos, mantendo o foco na pista. O assistente pode controlar a temperatura, definir um destino, tocar música e podcasts, enviar mensagens, e até controlar elementos em uma casa automatizada.

É claro que muitas dessas funções dependem do sinal de dados e, a depender de onde você for, é bom ter um mapa off-line carregado.

Na cabine do XC90 o luxo é mais evidente e a suspensão é a ar

Há ainda luxo, ressaltado nas versões topo de linha, que inclui até alavanca de câmbio em cristal da grife Orrefors e sistema de som fornecido pela britânica Bowers & Wilkins.

A dirigibilidade de ambos é exemplar e o sistema de tração integral evita derrapadas em pisos de baixo atrito. Para quem busca mais espaço, o XC90 se apresenta como uma boa opção. São três fileiras de banco, com direito a climatização em todas elas.

Na sua garagem

Rival de modelos como Audi Q4, BMW X3 e Mercedes-Benz GLC, o XC60 é oferecido em quatro configurações no mercado brasileiro. A mais barata é a Inscription Expression, que custa R$ 399.950.

Na sequência vem a Inscription, que custa R$ 30 mil a mais, e a R-Design, que é oferecida por R$ 439.950. A opção topo de linha é a Polestar Engineered, que tem amortecedores Öhlins e freios de performance da Akebono. Custa R$ 466.950.

O XC90, que concorre com o Audi Q7, leva até sete pessoas

O XC90 é concorrente de SUVs maiores, como o Audi Q7 e o Land Rover Discovery. Oferecido inicialmente por R$ 509.950 (Inscription Expression), é seguido pela versão R$ 553.950 (Inscription) e R$ 563.950 (R-Design).

*O JORNALISTA VIAJOU A CONVITE DA VOLVO CARS

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Enfermeira leva literatura e poesias para hospitais da Bahia

A quantidade de enfermeiros com registro ativo no Brasil soma pouco mais de 659 mil, conforme dados do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen)....

As Verdades, com Lázaro Ramos, mostra três versões de um mesmo crime

É injusto que público e crítica não dispensem ao cineasta paulista José Eduardo Belmonte a atenção que deveriam. Um dos mais versáteis criadores...

Estudantes de escolas públicas conhecem cultura quilombola e indígena de perto

A história do Brasil é recontada através do ponto de vista dos povos indígenas e africanos na 6ª edição do projeto Era Uma...