Bruno Reis pede que comissões da Câmara de Vereadores sejam reestabelecidas

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), voltou...

Farmácias do interior de Minas sofrem tentativas de ‘assalto pelo telefone’

O golpe do assalto pelo telefone provocou pânico na...

Bombardeio russo próximo à central nuclear de Zaporizhia deixa ao menos 13 mortos

Ao menos 13 civis morreram após um bombardeio na...

Record convida Arthur do Val para participar de ‘A Fazenda’

O ex-deputado estadual Arthur do Val, também conhecido como...

Greve: motoristas de ônibus de São Paulo voltam a paralisar por 24 horas

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
Motoristas e cobradores de ônibus de São Paulo voltam a paralisar atividades nesta quarta-feira (29/6). A paralisação começou às 0h desta quarta-feira (29/6) e deve terminar à meia-noite. A categoria manifesta pelo reajuste salarial. Os trabalhadores já tinham parado há duas semanas atrás.
A paralisação foi decidida durante uma grande assembleia que contou com a presença de mais de 6 mil trabalhadores. De acordo com a categoria, apesar do sindicato ter assegurado o reajuste salarial de 12,47% e o ticket-refeição, outras reivindicações como a hora de almoço remunerada e plano de carreiras, foram ignoradas.
“Já se passaram dois meses das nossas negociações e os patrões mostraram-se intransigentes, pedindo prazos, paciência e protelando decisões. A categoria está estafada dessa enrolação”, afirmou o presidente em exercício do sindicato, Valmir Santana da Paz. Os trabalhadores ressaltam que, desde março, ocorreram diversas reuniões a fim de debater as reivindicações.
Os trabalhadores devem se manifestar por 24 horas, caso o sindicato não se manifeste.A categoria também aprovou uma nova assembleia para esta quarta-feira, às 16h.

Paralisação afeta população

A Prefeitura de São Paulo, por meio da SPTrans, informou que, durante a madrugada, 88 linhas do Noturno, de 150, não operaram. Até as 8h de hoje, a paralisação atingiu 14 empresas do transporte coletivo da cidade, afetando 675 linhas diurnas e 6.008 ônibus.
De acordo com as estimativas do órgão municipal, cerca de 1,5 milhão de passageiros foram afetados.
A Justiça exigiu a manutenção de 80% da frota em horário de pico e 60% nos demais períodos, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. A SPTrans solicitou à Justiça aumento no valor da multa, além de autuar as empresas pelo não cumprimento das viagens.

*Estagiário sob supervisão da subeditora Jociane Morais 

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Em SP, moradores do Jabaquara denunciam aumento de assaltos

Moradores do bairro do Jabaquara, localizado na Zona Sul de São Paulo, denunciaram à Jovem Pan News uma situação de medo e insegurança com o aumento de crimes na...

Contratos de estágio crescem 18% neste ano, informa Ciee

Pesquisa divulgada hoje (10) pelo Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee) mostra que, no primeiro trimestre deste ano, o Brasil tinha 726,6 mil estagiários. O número representa, segundo o estudo,...

PF desmonta ação criminosa que pretendia sequestrar autoridades e resgatar líderes do PCC

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira, 10, uma operação para inviabilizar um plano de sequestro de autoridades e resgate de líderes da facção criminosa Primeiro Comando...