Bolsonaro confirma Braga Netto como vice em sua chapa

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou, ao programa 4x4...

Mulher mata marido asfixiado e chama a polícia para se entregar

Um homem de 51 anos foi morto asfixiado pela...

Protestos no Equador já duram mais de duas semanas e causaram mais de R$ 500 milhões em prejuízos

Os milhares de manifestantes indígenas que seguem mobilizados em...

Tropicalismo, parceria com Caetano e governo Lula: Relembre a carreira e os 80 anos de Gilberto de Gil

Neste domingo, 26, Gilberto Gil, completa 80 anos. Bom...

Entenda o que tem causado a crise dos ‘unicórnios’ no Brasil

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Empresas startups inovadoras e que vinham em expansão no Brasil enfrentam um cenário adverso desde abril, mesmo as que são consideradas “unicórnios” (aquelas com avaliação de valor de mercado superior a US$ 1 bilhão). Empresas como Liv Up (alimentos saudáveis e orgânicos), QuintoAndar (compra, venda e aluguel de imóveis), Facily (que atua como hipermercado), Mercado Bitcoin (criptoativos), Kavak (mexicana daecompra e venda de automóveis), Loft (compra, reforma e venda de imóveis) passaram por demissões em massa recentemente. Juntou-se ao grupo nesta terça-feira, 21, a Ebanx, sistema de pagamentos internacionais. Empresas menores, que ainda não tinham o grau de unicórnio, também foram atingidas.

As principais razões para isso são uma combinação do momento atual da economia com características próprias das startups. Negócios do tipo costumam atrair investidores que buscam risco e estão dispostos a aceitarem perdas por algum período. É raro as empresas que contam com o ecossistema digital começarem a dar lucro em curto prazo — o normal é que se passem alguns anos até se tornarem rentáveis. Assim, o crescimento e expansão é garantido por fundos de investimento que as consideram inovadoras e capazes de gerar lucro posteriormente. Durante a pandemia, boa parte das startups cresceu com os juros baixos no mercado, que tornam opções arriscadas mais atraentes.

No entanto, o cenário macroeconômico se alterou com a retomada da economia após a vacinação em massa e o fim dos lockdowns, a desorganização das cadeias de abastecimento e o início da guerra na Ucrânia, que causaram grandes altas na inflação. Os bancos centrais reagiram com aumentos nas taxas de juros no Brasil e em outros países, em uma tentativa de combater a subida nos preços. Em contrapartida, acabaram dificultando o crescimento econômico. Assim, os investidores passaram a buscar ativos mais seguros, incluindo os próprios títulos da dívida de países que agora remuneram melhor. Os fundos de investimento que costumam canalizar recursos para as startups deixaram de ser tão atrativos, dificultando a obtenção de capital para crescer e expandir. Outro motivo é que, com as dificuldades econômicas vividas por parte da população, as startups encontram menos clientes com capacidade para consumir o que oferecem. Enquanto a inflação seguir não der sinais de arrefecer, é provável que a situação continue complicada para este tipo de empresa.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Aneel realizá leilão que prevê até R$ 15,3 bilhões em investimentos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai leiloar na próxima quinta-feira (30) 13 lotes de linhas de transmissão de energia. As empresas que...

Entenda as medidas que governo e Congresso têm trabalhado para baixar os preços dos combustíveis

Controlar a escalada dos preços dos combustíveis é um dos grandes desafios do governo, principalmente com a proximidade das eleições. O presidente Jair Bolsonaro...

Entenda as medidas que governo e Congresso têm trabalhado para baixar os preço dos combustíveis

Controlar a escalada dos preços dos combustíveis é um dos grandes desafios do governo, principalmente com a proximidade das eleições. O presidente Jair Bolsonaro...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com