Mulher mata marido asfixiado e chama a polícia para se entregar

Um homem de 51 anos foi morto asfixiado pela...

Protestos no Equador já duram mais de duas semanas e causaram mais de R$ 500 milhões em prejuízos

Os milhares de manifestantes indígenas que seguem mobilizados em...

Tropicalismo, parceria com Caetano e governo Lula: Relembre a carreira e os 80 anos de Gilberto de Gil

Neste domingo, 26, Gilberto Gil, completa 80 anos. Bom...

Marcus D’Almeida faz história e conquista medalha de ouro inédita no Mundial de Tiro com Arco

Marcus D’Almeida brilhou na manhã deste domingo, 26, ao...

Dólar sobre para R$ 4,91 e atinge maior valor em três semanas

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Em um dia de nervosismo internacional, o dólar ultrapassou a barreira de R$ 4,90 e atingiu o maior valor em três semanas. A bolsa de valores caiu pela quinta vez seguida e está no menor nível em 20 dias.

O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (9) vendido a R$ 4,916, com alta de R$ 0,026 (+0,52%). A moeda norte-americana alternou altas e baixas ao longo do dia, chegando a R$ 4,86 na mínima do dia por volta das 9h30. No entanto, com a deterioração do mercado externo, a cotação ganhou força perto do fim das negociações.

A moeda está no maior valor desde 19 de maio, quando tinha encerrado em R$ 4,917. A divisa acumula alta de 3,43% em junho. Em 2022, no entanto, o dólar cai 11,84%.

O dia também foi tenso no mercado de ações. O índice Ibovespa, da B3, fechou aos 107.094 pontos, com recuo de 1,18%. Influenciado pelas bolsas norte-americanas, que também tiveram forte queda, o Ibovespa operou em baixa durante toda a sessão. A bolsa brasileira está no menor nível desde 19 de maio, quando tinha fechado pouco acima de 107 mil pontos.

Pela manhã, a divulgação da inflação oficial em maio arrefeceu o mercado. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) caiu para 0,43% no mês passado. O dado veio inferior ao esperado pelos analistas financeiros.

Durante a tarde, no entanto, o cenário externo voltou a pesar. Amanhã (10), os Estados Unidos divulgarão o índice de inflação ao consumidor final, que está no maior nível em 40 anos. Caso a taxa venha acima do previsto, aumentarão as apostas de que o Federal Reserve (Fed, Banco Central norte-americano) endureça o reajuste dos juros na maior economia do planeta. Taxas mais altas em países avançados estimulam a fuga de capitais de países emergentes, como o Brasil.

*Com informações da Reutersebcebc

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Aneel realizá leilão que prevê até R$ 15,3 bilhões em investimentos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai leiloar na próxima quinta-feira (30) 13 lotes de linhas de transmissão de energia. As empresas que...

Entenda as medidas que governo e Congresso têm trabalhado para baixar os preços dos combustíveis

Controlar a escalada dos preços dos combustíveis é um dos grandes desafios do governo, principalmente com a proximidade das eleições. O presidente Jair Bolsonaro...

Entenda as medidas que governo e Congresso têm trabalhado para baixar os preço dos combustíveis

Controlar a escalada dos preços dos combustíveis é um dos grandes desafios do governo, principalmente com a proximidade das eleições. O presidente Jair Bolsonaro...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com