Ciro diz que anúncio de vice só será feito durante convenção do PDT, no fim de julho

Cumprindo agenda em Salvador nesta sexta-feira (1), o...

Preço da gasolina segue em queda no DF e pode ser encontrado a R$ 6,69

O preço praticado da gasolina entra no primeiro dia...

‘Não se priorizou o combate à fome no Brasil’, diz representante da FAO no país

Para o representante da Organização das Nações Unidas para...

Os riscos às contas públicas de PEC que turbina gastos sociais em ano eleitoral

O Senado aprovou nesta quinta-feira (30/6) a PEC (proposta de emenda...

Diversidade no Pantanal: ator baiano será o filho de Tenório

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Um rapaz de sorriso fácil e dreads vai invadir o  Pantanal. Nos próximos capítulos na novela das 21 da Globo,  o público será apresentado a Marcelo, um dos filhos de Tenório (Murilo Benício), que vai deixar São Paulo e morar na fazenda pantaneira. Estudante de zootecnia, Marcelo é um rapaz obstinado e sonhador, que vai viver o dilema de mudar drasticamente a própria realidade: da cidade grande para o meio do mato.

O ator que dá vida a Marcelo vive o mesmo drama: o baiano Lucas Leto, 23, nasceu e cresceu no bairro de Pernambués e completa 10 anos de carreira como ator entrando no meio da novela que virou xodó do público em todo o Brasil.

“Marcelo é obstinado e tem sonhos e ambições, ele é forte e dedicado. Meu maior desafio foi estudar esse mundo do agronegócio do qual eu não fazia ideia, com o tempo eu fui me apaixonando pelos bichos e hoje eu já quero comprar um cavalo e ter um pedaço de terra pra me dedicar à esse mundo que é fascinante”, contou em entrevista ao CORREIO direto do Pantanal. 

Acostumado com praia e água salgada, logo na primeira semana pantaneira ele viu bichos que só conhecia em filmes. Lucas conta que o Pantanal tem um tempo diferente: tem dormido cedo, acordado antes do amanhecer e garante que o dia por lá faz mais sentido do que em qualquer outro lugar.
 

csm LucasLetoPantanal 2 3b9d148eb1
Lucas Leto tira selfie durante as gravações em Pantanal (Foto: Arquivo Pessoal)

Todas essas experiências serão vividas por seu personagem, que terá um romance com sua meia-irmã, Guta (Julia Dalavia), e vai confundir a cabeça da filha de Maria Bruaca (Isabel Teixeira). O amor tão incorreto quanto genuíno vai dar muito pano pra manga na trama.

O personagem tem uma história de vida forte. Crescer sem a presença do pai fez com que ele e sua mãe, Zuleica, interpretada por Aline Borges, tenham um vínculo muito forte. Mais velho dos irmãos, o garoto precisou virar homem cedo e leva uma realidade bem comum de famílias brasileiras para a TV.

“Eu acho que só pelo fato de ter uma família com a cara do Brasil nessa nova versão por si só já é uma conquista, adoro pensar no Marcelo como um peão preto balançando seus dreads enquanto corre em cima do seu cavalo, são coisas simples mas muito potentes e nunca vistas”, disse Lucas, completando que entrar ‘com o bonde andando’ é um desafio gostoso que a profissão dá e encara a pressão como algo bom.

Trajetória

Lucas Leto já morou em vários lugares: Boa Vista de São Caetano, Cabula, Liberdade… mas foi em Pernambués, na Baixa do Manu, onde se criou. O amor pelas artes cênicas veio do carinho de vó, que sempre o levava para museus e teatros. 

Ele conta que a mãe usou umas economias para o matricular num curso de teatro para iniciantes no Teatro Castro Alves. “Já estudando eu soube de uma audição para a oficina do Bando do Teatro Olodum, grupo no qual eu já era muito fã, pois conhecia
Ó Pai Ó e sabia que Lázaro Ramos, minha maior referência, tinha sido formado lá.

Ele passou na audição, que tinha mais de 200 pessoas e permaneceu no grupo durante anos, viajando e trabalhando em grandes espetáculos da companhia. Há seis anos deixou a terra natal para trabalhar num projeto de Maurício de Sousa. Sua estreia na Globo foi na novela Bom Sucesso (2020). Lucas volta a Salvador sempre que tem uma folguinha, para recarregar as baterias: “Sem esse retorno, isso não seria possível”, diz, emocionado.

Família preta

Foi em Salvador que ele conhecer sua mãe na novela. Lucas e Aline Borges se conheceram no carnaval de 2020 e ali brincaram sobre a semelhança física que têm. Ficou a esperança de um dia encenarem mãe e filho. Acabou acontecendo.

csm Lucas Leto ao centro com Aline Borges Caue Campos a esquerda e Gabriel Santana direita familia de Tenorio Foto Arquivo pessoal 480e41e0e6

Lucas Leto ao centro com Aline Borges, Cauê Campos (à esquerda) e Gabriel Santana (direita) família de Tenório (Foto: Arquivo pessoal)

Ao Gshow, ele revelou que foi à casa de amigos em comum depois de ser aprovado para o elenco de Pantanal, onde anunciou que estaria na novela. No dia, Aline também tinha uma novidade para contar.

“Ela me perguntou: ‘Qual o nome do seu personagem?’. Eu respondi: ‘Marcelo!’. Foi quando a Aline, com lágrimas nos olhos, gritou: ‘Eu sou sua mãe!’. Todos os nossos amigos vibraram muito, foi emocionante e uma cena que nunca vou esquecer”, disse Lucas.

A família de Lucas e Aline leva para dentro da produção uma discussão sobre as construções familiares no Brasil, além de pautar o tema racial com leveza dentro da novela – mostrando o talento de atores pretos, fato que é comemorado pelo ator soteropolitano.

“É importante ter atores e técnicos pretos nas produções brasileiras porque é um mercado promissor à se explorar, é bom para todo mundo e a TV americana é um exemplo disso, lá nos EUA os pretos representam 14% da população, aqui somos 56% imagina o poder disso?!”, avalia.

csm 2022 06 06 vid Pantanal Marcelo Lucas Leto Tenorio Murilo Benicio Zuleica Aline Borges Roberto Caue Campos e Renato Gabriel Santana Foto Joao Miguel Junior d0128a9c85

A família de Marcelo (Lucas Leto, à esq.): Tenório (Murilo Benício), Zuleica (Aline Borges), Roberto (Cauê Campos) e Renato (Gabriel Santana) / (Foto: João Miguel Júnior)

É dessa maneira, com seu trabalho, que Lucas continua batalhando para fazer da sua trajetória uma referência para outros jovens artistas da cidade. “Eu tenho trabalhado todos os dias para que meu trabalho seja um orgulho para Salvador, que minha trajetória dê força aos jovens artistas incríveis da nossa cidade e que a gente possa trabalhar com dignidade e respeito. Eu sou apenas um e de onde eu venho tem muito mais, olhem pra gente!”. Vamos olhar, Lucas. Pode ter certeza.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Enfermeira leva literatura e poesias para hospitais da Bahia

A quantidade de enfermeiros com registro ativo no Brasil soma pouco mais de 659 mil, conforme dados do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen)....

As Verdades, com Lázaro Ramos, mostra três versões de um mesmo crime

É injusto que público e crítica não dispensem ao cineasta paulista José Eduardo Belmonte a atenção que deveriam. Um dos mais versáteis criadores...

Estudantes de escolas públicas conhecem cultura quilombola e indígena de perto

A história do Brasil é recontada através do ponto de vista dos povos indígenas e africanos na 6ª edição do projeto Era Uma...