Gaviões da Fiel cobra diretoria do Corinthians e critica Vitor Pereira: ‘Discurso inadmissível’

Principal torcida organizada do Corinthians, a Gaviões da Fiel...

Prazo para caminhoneiros fazerem autodeclaração para receber benefício começa nesta segunda-feira

O prazo para que transportadores autônomos de carga (TAC)...

Tiririca define candidatura à Câmara e escolhe novo número nas urnas

O humorista e deputado federal Tiririca (PL-SP) definiu que...

Deu ruim: TJ/BA bloqueia pagamentos para a realização do Pedrão de Eunápolis

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

A decisão, divulgada na noite desta terça-feira (28), é de Benício Mascarenhas Neto, Juiz de Direito Convocado para relatar o processo no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ/BA), em recurso apresentado pelo Ministério Público da Bahia (MP/BA), contra decisão do juiz da 1ª Vara da Fazenda Pública de Eunápolis, Roberto Freitas, desta segunda-feira (27).

Nesse embróglio está a análise do MP/BA de que o município de Eunápolis não observou a previsão legal de gastos, através da LOA (Lei Orçamentária Anual), nem as suplementações, ao contratar e realizar a festa, apelidada de “São João Encontra com Pedrão”, ao custo de R$ 7.234.133,02 (sete milhões, duzentos e trinta e quatro e cento e trinta e três reais e dois centavos), sem a devida previsão orçamentária que autorize estes gastos.

Somados às suplementações posteriores, o valor previsto na Lei 1294/21 (LOA/EUNÁPOLIS/2022) é de valor de R$3.664.000,00 (três milhões, seiscentos e sessenta e quatro milhões) de reais, com suplementos de verbas nos valores de R$ 162.000,00 (cento e sessenta e dois mil reais), através do Decreto 10.685 (datado de 01/04/2022) e no valor de R$ 351.775,00 (trezentos e cinquenta e um mil reais, setecentos e setenta e cinco centavos) por meio do Decreto 10.562 de (01/03/22).

Apesar de acatar o recurso da promotoria, suspendendo os pagamentos, o juiz deu prazo de 24 horas para a Prefeitura de Eunápolis apresentar documentação comprobatória de autorização e previsão dos gastos, arbitrando o valor de R$ 50 mil reais para o pagamento de multa, por cada dia de evento realizado, caso a prefeita decida manter os pagamentos, em descumprimento da decisão judicial.

Por mais que a prefeita de Eunápolis, Cordélia Torres, insista em manter a realização da festa, com o pagamento da multa, no valor de R$ 250 mil, referente aos cinco dias do Pedrão de Eunápolis, a situação dela já estará bastante complicada, na alça de mira do Tribunal de Contas dos Municípios e da esfera judicial, à beira do precipício da improbidade administrativa. Essa novela ainda terá muitos capítulos.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Donos de ônibus paralisam transporte escolar em Eunápolis por falta de pagamento

O mês de agosto começou com um grande abacaxi para a Prefeita de Eunápolis, Cordélia Torres. Proprietários de veículos prestadores de serviço escolar para a Prefeitura de Eunápolis fecharam a...

3º Festival Gastronômico de Eunápolis bate recorde com 40 restaurantes inscritos

As inscrições para o 3º Festival Gastronômico de Eunápolis se encerraram no último dia 24. Puderam se inscrever os restaurantes interessados e devidamente regularizados no município, com possibilidade de...

Itamaraju e Eunápolis empatam na abertura do Intermunicipal 2022

A abertura oficial oficial do Campeonato Intermunicipal aconteceu neste domingo (31/07) em Itamaraju. A competição não era realizada o início da pandemia, em 2020. A solenidade contou com a presença...