Israel e palestinos negociam cessar-fogo; número de mortos sobe para 31

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) - Israelenses e palestinos concordaram...

Insatisfação com tamanho do pênis e vagina leva à cirurgia

LUIZ PAULO SOUZARIBEIRÃO PRETO, SP (FOLHAPRESS) - Um estudo...

Britney Spears após ex-marido dizer que filhos têm vergonha dela: ‘Dei tudo a eles’

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Britney Spears, 40, se...

Primeiros sinais de estabilidade da varíola dos macacos é observado no Reino Unido

A Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido...

Cresce o uso de máscara na Feira Hippie, em Belo Horizonte

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
O aumento do uso de máscaras como proteção contra a COVID-19 e outras doenças respiratórias pode ser observado na feira da Avenida Afonso Pena, a tradicional Feira Hippie, neste domingo (26). Alguns comerciantes calculam um aumento em torno de 40% em relação à semana passada.

Apesar do ambiente ao ar livre, muitas pessoas usam máscaras enquanto outras preferem não usar. De acordo com feirantes, neste domingo foi observado o aumento do uso do acessório de proteção que, com a pandemia, tornou-se comum no mundo inteiro.
Desde o último dia 13, quando a secretária Municipal de Saúde, Cláudia Navarro, anunciou a volta da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais fechados, a população voltou a conviver com o uso da proteção.
Márcio Luiz Miranda Glaus, 62 anos, feirante há 43 anos, observou certa divisão entre usuários e não usuários da proteção. “Observo pessoas divididas entre usar ou não a máscara. Minha esposa está com máscara, e eu sem , mas mantenho aqui no bolso. Tiro só de vez em quando  porque sinto um pouco de dificuldade em respirar.”

Glaus acredita que a máscara continua sendo um instrumento de prevenção. “Tanto que não entro em local fechado sem máscara. Como aqui é aberto, ao ar livre, mas com grande frequência de pessoas acho que o certo é o uso de máscara. O frio já gera elevação na incidência de doenças respiratórias. A população tem que usar máscara mesmo durante o inverno.”
Desde 14 de junho passou a ser obrigatório o uso de máscaras em todos os ambientes fechados de Belo Horizonte. A obrigação prevista, inicialmente, até o dia 31 de julho, considerando o período estimado para diminuição da incidência de casos respiratórios na capital. O decreto com as novas regras foi publicado no Diário Oficial do Município (DOM).
 A retomada da obrigatoriedade do uso de máscaras levou em consideração o aumento da positividade de testes, sendo que na semana entre 1º e 7 de maio foram realizados 6.531 exames, com taxa de positividade de 6%. Já entre o período de 29 de maio e 4 de junho de 2022, foram 20.964 testes, com 19% de positividade. Os exames foram realizados na rede própria do município.
“Nossos protocolos são revistos diariamente e são alterados de acordo com os dados epidemiológicos, assistenciais e baseados em evidências científicas. Nesse momento, entendemos que devemos voltar com a obrigatoriedade do uso de máscara em locais fechados”, disse a secretária Cláudia Navarro.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Acidente deixa motociclista gravemente ferido na BR-262

 Um homem, cuja idade não foi revelada, sofreu ferimentos graves ao cair de uma motocicleta no quilômetro 378, da BR-262, próximo ao Palácio dos Leilões, em Juatuba, Região Metropolitana...

Cartório eleitoral é atacado em Sete Lagoas

Uma porta de vidro do cartório eleitoral em Sete Lagoas, região Central do Estado, ficou destruída após ataque contra o prédio. O ato de vandalismo aconteceu durante a noite...

Carro bate em poste e motorista se fere na cabeça em Sete Lagoas

Um homem de 25 anos perdeu o controle do carro e bateu em um poste da Avenida Norte Sul, no Bairro Jardim Europa, em Sete Lagoas, Região Central de...