Ariel Cabral, ex-Cruzeiro, fecha com clube do Uruguai

Ariel Cabral foi anunciado como reforço do Racing, equipe...

Homem acusado de agredir e ameaçar a ex é preso pela 2ª vez em seis meses

Um homem acusado de agredir e ameaçar a...

Palmeiras repudia manifestações racistas da torcida do Cerro Porteño

No duelo entre Cerro Porteño e Palmeiras, nesta quarta-feira,...

Santos marca no fim e busca empate com Deportivo Táchira na Sul-Americana

O Santos empatou por 1 a 1 com o...

Câmara convoca ministro da Justiça para esclarecer ação da PRF no caso Genivaldo

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Por dez votos a sete, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara aprovou, nesta quarta-feira (1º), a convocação de Anderson Torres, ministro da Justiça, para falar sobre o caso de Genivaldo de Jesus Santos, de 38 anos, morto durante uma operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

Genivaldo foi morto no dia 25 de maio, ao ser abordado por policiais rodoviários federais em Umbaúba, Sergipe. Ele foi preso no porta-malas da viatura, e os agentes jogaram gás lacrimogêneo dentro do compartimento. O laudo médico apontou que a causa da morte foi asfixia. Genivaldo foi abordado por estar pilotando uma motocicleta sem capacete.

A Polícia Rodoviária Federal é um órgão subordinado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública. Por ter sido convocado, e não convidado, o que torna sua presença obrigatória, o ministro pode responder por crime de responsabilidade se não apresentar uma justificativa “adequada” em caso de ausência.

O presidente da comissão, o deputado Orlando Silva (PCdoB -SP), afirmou que a convocação – que ainda não tem data definida – não possui caráter pessoal. “É a convocação de um representante do estado brasileiro. É a demonstração de que a Comissão dos Direitos Humanos da Câmara dos Deputados está indignada com o que aconteceu”, declarou.

“É a comissão que deve se debruçar diante de uma violação brutal. Eu sei que todos os deputados, sejam do governo ou da oposição, todos nós ficamos indignados com o assassinato do Genivaldo com a câmara de gás. Eu me emociono de ver as imagens, imagino que muitos de nós ficaram emocionados”, disse Orlando Silva.

Um dos deputados da base governista, o parlamentar José Medeiros (PL-MT), disse que a violência policial passa pela sanidade dos policiais, que precisam ser tratados. Ele ainda completou a fala dizendo que querer ligar o governo do presidente Jair Bolsonaro à atitude dos policiais que mataram Genivaldo é “uma sacanagem”

“Há uma maldade sem tamanho de querer usar isso para um ataque político, para querer ganhar votos”, afirmou o deputado.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Votação da PEC que amplia auxílio Brasil e cria voucher para caminhoneiros é adiada

O presidente do Senado Federal, Rodrigo Pacheco, decidiu adiar a votação da PEC 1/22 para esta quinta-feira (30). A proposta amplia o Auxílio...

Caixa muda posição e diz que recebeu denúncias de assédio por canal

Depois da saída de Pedro Guimarães da presidência da Caixa nesta quarta-feira (29/6), motivada pelas denúncias de assédio sexual contra servidoras do banco, a...

Bolsonaro: ‘se a esquerda voltar, nunca mais deixará o poder no Brasil’

O presidente Jair Bolsonaro (PL) segue preocupado com uma possível derrota nas eleições de 2022. Em entrevista a Tucker Carlson da TV americana "Fox...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com