DF abre concurso para contratação temporária de brigadistas

O Instituto Brasília Ambiental (Ibram-DF) abriu inscrições para o...

Mortes violentas caem 6% no Brasil em 2021, aponta anuário

O registro de mortes violentas intencionais, no ano passado,...

Caso Genivaldo: PRF volta atrás sobre sigilo em histórico de agentes

Após a instauração de uma investigação pelo Ministério...

Torcedores do Boca são presos por injúria racial em jogo com o Corinthians

Dois torcedores do Boca Juniors foram presos na Neo...

Bolsonaro sobre desaparecidos na Amazônia: ‘Aventura não recomendável’

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
O presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou, nesta terça-feira (7/6), sobre o desaparecimento do indigenista da Fundação Nacional do Índio (Funai) Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips, colaborador do jornal The Guardian. De acordo com Bolsonaro, entre as hipóteses, “pode ser que tenham sofrido um acidente” ou que “tenham sido executados”. E criticou o que chamou de “aventura não recomendável” já que os dois estavam sozinhos de barco. Ele disse também que as Forças Armadas trabalham com afinco para encontrá-los.
“Eles partiram de manhã em uma viagem entre São Rafael e Atalaia do Norte, de manhã, mais ou menos 3h. À tarde, fomos comunicados, no caso a Marinha, que eles não tinham chegado ao destino. No próprio domingo à tarde, começaram as buscas. O que sabemos até o momento: que no meio do caminho eles teriam se encontrado com duas pessoas que já estão detidas pela PF. Estão sendo investigados. E realmente, duas pessoas apenas em um barco, numa região daquela, completamente selvagem é uma aventura que não é recomendável que se faça. Tudo pode acontecer, pode ser um acidente, pode ser que eles tenham sido executados, tudo pode acontecer. A gente espera e pede a Deus que sejam encontrados brevemente. As Forças Armadas estão trabalhando com muito afinco”, disse o presidente, em entrevista ao SBT News.
Bruno e Dom desapareceram no domingo (5/6) no Vale do Javari, na Amazônia, quando faziam o trajeto entre a comunidade Ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte, distante 1.135km de Manaus. Bruno Pereira era constantemente ameaçado pelo trabalho que fazia junto aos indígenas contra invasores na região, pescadores, garimpeiros e madeireiros.
A Política Federal (PF) apreendeu, no início da noite desta segunda-feira (6/6), dois pescadores suspeitos de estarem envolvidos no desaparecimento.
Bruno tinha um encontro com uma pessoa conhecida como Churrasco, na comunidade São Rafael, no Vale do Javari, no último domingo (6/6), compromisso que foi acompanhado por Dom na volta da viagem dos dois ao Lago do Jaburu, para visitar a equipe de Vigilância Indígena.
No entanto, Churrasco não apareceu e os dois seguiram viagem até a cidade de Atalaia, um trajeto que duraria duas horas, mas nunca foi completado pelos homens. Eles não foram mais vistos após a tentativa de encontro com o pescador e não fizeram mais contato.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Bolsonaro escolhe mulher para substituir presidente da Caixa acusado de assédio sexual

O presidente Jair Bolsonaro já decidiu quem vai substituir Pero Guimarães na presidência da Caixa. De acordo com o portal Metrópoles, parceiro do...

Fernanda Souza revela rotina e abre o jogo sobre namoro com Duda Porto

Fernanda Souza abriu o jogo sobre a sua rotina diária à revista Harper’s Bazaar e abriu o coração sobre o seu relacionamento com Eduarda...

Assédio na Caixa: ‘Ele me falou: ‘Vou te rasgar, vai sangrar”, diz vítima

São diversos os relatos de assédio sexual cometidos pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Duarte Guimarães. Funcionárias do banco, que escolheram denunciar o...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com