Gaviões da Fiel cobra diretoria do Corinthians e critica Vitor Pereira: ‘Discurso inadmissível’

Principal torcida organizada do Corinthians, a Gaviões da Fiel...

Prazo para caminhoneiros fazerem autodeclaração para receber benefício começa nesta segunda-feira

O prazo para que transportadores autônomos de carga (TAC)...

Tiririca define candidatura à Câmara e escolhe novo número nas urnas

O humorista e deputado federal Tiririca (PL-SP) definiu que...

Assédio na Caixa: ‘Ele me falou: ‘Vou te rasgar, vai sangrar”, diz vítima

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
São diversos os relatos de assédio sexual cometidos pelo presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Duarte Guimarães. Funcionárias do banco, que escolheram denunciar o economista de forma anônima, contam os abusos sofridos em viagens de trabalho.
A denúncia feita ao jornal Metrópoles apresenta o relato de cinco mulheres que denunciam toques e convites indesejados. Dentre as denúncias de assédio, Guimarães também é acusado de verbalizações agressivas. Cristina (nome fictício) contou que em uma das viagens a trabalho, o presidente prometeu rasgá-la, até sangrar. “Ele me falou: ‘Vou te rasgar. Vai sangrar'”‘, lembrou a funcionária.
Segundo ela, em uma viagem em uma cidade nordestina não especificada, Guimarães disse que havia planejado uma “ideia especial”, que se tratava de uma espécie de carnaval fora de época, no qual “ninguém seria de ninguém”. “Ele disse: A gente vai fazer um carnaval fora de época (…) Ninguém vai ser de ninguém. E vai ser com todo mundo nu”, contou. 
 
As denúncias não param por aí. “Ele me chamou para ir para sauna com ele”; “Quando viajo, coloco cadeira na porta do quarto”; “Tenho pânico de ter que trabalhar com ele” e “Ele apertou minha bunda”, são alguns dos diversos assédios vivenciados por funcionárias do banco. 
Segundo o jornal Metrópoles, as vítimas alegaram não terem denunciado as situações antes por medo de serem perseguidas. “Uma das funcionárias afirma ter conhecimento do caso de uma colega de trabalho que resolveu comunicar uma situação de assédio que experimentou dentro da instituição, mas logo depois sua “denúncia” chegou às mãos de funcionários do gabinete de Guimarães”, expõe o portal. 
 
  • Leia mais: É iminente a saída de presidente da Caixa após denúncias de assédio sexual
     
Ainda segundo uma das mulheres, quando Guimarães percebe que alguém tem um caso que representa risco, chama essa pessoa para “perto”. “Ou então pede às pessoas próximas para que elas sejam observadas”, conta uma das funcionárias.
 

Denúncia ao MPF 

 

O presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Duarte Guimarães será investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) por denúncias de assédio sexual. A investigação está em andamento, sob sigilo, no Ministério Público.

 

*Estagiário sob supervisão da subeditora Jociane Morais 

 

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

STF dá prazo para União e estados detalharem combate à varíola dos macacos

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu cinco dias para que o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) e as gestões estaduais se manifestem a...

Tiririca define candidatura à Câmara e escolhe novo número nas urnas

O humorista e deputado federal Tiririca (PL-SP) definiu que irá se candidatar à reeleição para um possível quarto mandato na Câmara dos Deputado e escolheu um novo número para...

Bolsonaro inicia campanha pela reeleição no local onde levou facada em 2018

O presidente da república, Jair Bolsonaro (PL), escolheu o local exato onde levou uma facada em 2018 para fazer o seu primeiro discurso na corrida pela reeleição. Nesta...