Deu ruim: TJ/BA bloqueia pagamentos para a realização do Pedrão de Eunápolis

A decisão, divulgada na noite desta terça-feira (28), é...

Dom e Bruno: trabalho da dupla terá continuidade

O trabalho feito pelo indigenista Bruno Pereira e o...

Lira: ‘Faremos de tudo’ para Bolsonaro ter a maior votação do Nordeste

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL),...

Delegado suspeito de receber propina está foragido

O delegado Rafael Lopes Azevedo, titular da Delegacia Especializada...

Articulações para a CPI da Educação se intensificam no Senado após prisão de ex-ministro

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Senadores voltaram a se articular para conseguir a instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) na pasta da Educação. A movimentação começou logo após a prisão do ex-ministro da pasta Milton Ribeiro e o pastor Gilmar Santos, nesta quarta-feira, 22, pela Polícia Federal, que investiga a intermediação indevida na liberação de recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). “É muito grave”, disse o senador Marcelo Castro (MDB-PI) presidente da Comissão de Educação (CE). “A Polícia Federal deve ter encontrado coisas muito graves para um juiz determinar a prisão de um ex-ministro da Educação. Não é qualquer pessoa.” O parlamentar chamou a atenção para o fato de dois pastores que não são servidores intermediarem e não ocupam cargos públicos conseguirem intermediar recursos públicos. Ribeiro deixou o cargo de ministro em março, após afirmar em áudio que a pasta privilegiava prefeitos indicados pelos pastores evangélicos Gilmar Santos e Arilton Moura. “Isso é um descalabro administrativo inconcebível”, afirmou Castro.

A notícia agitou os parlamentares e deu oportunidade para o senador Randolfe Rodrigues (Rede- AP) voltar a recolher assinaturas para a instalação de uma CPI. Em março, ele chegou a apresentar um requerimento para a abertura do processo. Tinha 27 assinaturas, quantidade mínima exigida pelo regimento interno do Congresso, mas alguns senadores desistiram antes do documento ser protocolado. “O governo fez um mutirão em um final de semana, em uma mobilização pouco vista aqui na história do Congresso. Em um final de semana, retirou três assinaturas”, diz Rodrigues, que anunciou publicamente a necessidade do apoio dos colegas. “Precisamos de apenas mais duas assinaturas. Com os acontecimentos de hoje, me parece que é inevitável, necessário e urgente a instalação dessa comissão parlamentar de inquérito.”

Leia também Bolsonaro afirma que Milton Ribeiro ‘responde pelos atos dele’ Ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro é preso em operação da PF por suspeita de corrupção  

 

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Conheça o vendedor de batata frita do Rio festejado por Snoop Dogg

Rio de Janeiro – Pouco mais de um mês após se tornar patrimônio imaterial do Rio de Janeiro, a Batata de Marechal foi parar...

Lira: ‘Faremos de tudo’ para Bolsonaro ter a maior votação do Nordeste

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta terça-feira (28/6) que apoiará o presidente Jair Bolsonaro (PL) em seu projeto de...

Estados apresentam propostas para alteração no ICMS dos combustíveis durante audiência no STF

Os Estados brasileiros apresentaram à União, nesta terça-feira, 28, propostas para mudanças na incidência do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) nos...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com