Termo prevê qualificação de profissionais de comunidades terapêuticas, diz SJDHDS

A formalização de um termo de colaboração do...

Aliado de Neto, prefeito de Santo Antônio de Jesus recebe João Roma

Aliado do pré-candidato ao governo da Bahia ACM...

Bahia de Feira terá reforços para visitar o URT em Minas Gerais

O Bahia de Feira terá dois reforços para...

Argentina domina, vence a Itália e conquista o bicampeonato da Finalíssima 

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
argentina 1

A seleção argentina sagrou-se bicampeã do Troféu Artemio Franchi, a Finalíssina, nesta quarta-feira, 1º, ao derrotar a Itália por 3 a 0, em Wembley, na Inglaterra – o torneio reúne os atuais campeões da Copa América e da Eurocopa. Sem encontrar dificuldades, a equipe treinada por Lionel Scaloni marcou com gols de Lautaro Martínez e Ángel Di María, ainda no primeiro tempo. Com show de Lionel Messi, os sul-americanos também dominaram a etapa complementar ampliaram com Paulo Dybala. Os “hermanos”, desta forma, conquistam a segunda taça do campeonato, que teve apenas três edições. Na primeira, em 1985, a França ficou com o título depois de bater o Uruguai, no Parque dos Príncipes. Em 1993, a taça ficou com a Argentina, que superou a Dinamarca, em Mar Del Plata.

Os argentinos dominaram o primeiro tempo, principalmente, graças à imposição física. Recuperando várias bolas no campo de ataque e contando com o talento de seu trio de frente, a Argentina tomou conta do jogo e abriu o placar com Lautaro Martínez. Aos 29 minutos, o centroavante só esperou Lionel Messi construir a jogada pela esquerda para receber e rolar para as redes. Já nos acréscimos, no entanto, o centroavante dominou com maestria um lançamento do goleiro Emiliano Martínez, girou sobre a marcação e tocou para Ángel Di María. Com muita frieza, o experiente jogador tocou por cima de Donnarumma, ampliando a vantagem e descendo para o vestiário com mais tranquilidade.

No retorno do intervalo, o técnico italiano promoveu algumas alterações na “Azzurra”, tirando Giorgio Chiellini, que fez sua despedida como jogador de seleção. Ele, Bernardeschi e Belotti deixaram o campo para as entradas de Lazzari, Scamacca e Locatelli. Apesar de melhorar nos minutos iniciais, a Itália voltou a ser controlada. Di María e Messi, principalmente, fizeram Donnarumma praticar algumas defesas incríveis. Lo Celso, com o gol aberto, desperdiçou uma chance claríssima após passe do camisa 10. Já nos acréscimos, Messi arrancou e foi desarmado na entrada da área. A bola sobrou para Paulo Dybala, que completou para as redes e fechou o placar.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

MPF pede bloqueio de R$ 113 milhões dos envolvidos na tragédia da Chapecoense

Quase seis anos após o trágico acidente aéreo da Chapecoense, muitas famílias ainda lutam para receber indenizações. O caso ganhou um novo capítulo em...

Vitória só venceu um adversário nordestino nesta Série C

Oito dos 20 clubes que disputam a Série C do Brasileiro são do Nordeste. Mais tradicional entre eles, o Vitória vem deixando a...

Em ‘jogo de seis pontos’, Agnaldo Liz quer Juazeirense fazendo o dever de casa no Adautão

Mais do que um encontro entre times baianos, o técnico Agnaldo Liz destacou a importância do embate entre Juazeirense e Jacuipense, pela 11ª...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com