AstraZeneca: validade estendida é eficaz e segura, diz professor da UFMG

Quem foi aos pontos de vacinação contra a COVID...

G7 anuncia que vai proibir importação do ouro russo

As quatro potências do G7 anunciaram, neste domingo, 26,...

Klara Castanho agradece apoio após revelar que foi estuprada e entregou bebê para adoção  

Klara Castanho usou suas redes sociais na manhã deste...

Luva de Pedreiro afirma que teve WhatsApp e TikTok hackeados e acusa empresário

O influenciador digital Iran Ferreira, conhecido como Luva de...

Após três meses em coma, mulher acorda e descobre que noivo não a visitou e arranjou nova namorada

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

Brie Duval, uma australiana de 25 anos, passou por um dos momentos mais complicados de sua vida. Além de ter ficado três meses em coma, quando ela acordou, descobriu que o noivo não a visitou no hospital, a bloqueou nas redes sociais e ainda estava em outro relacionamento. O caso foi revelado pelo jornal britânico Mirror na terça-feira, 7. À imprensa, Duval contou que quando acordou do coma estava com amnésia, mas conforme recuperou a memória pegou o celular e foi olhar suas mensagens. Foi então que descobriu que foi traída pelo companheiro com quem mantinha um relacionamento há quatro anos enquanto estava entre a vida e a morte. A descoberta veio por meio da mensagem da atual namorada do homem que pediu que ela não o procurasse mais. 

Duval passou por tudo isso sozinha, porque com as altas dos casos de Covid-19, seus pais não puderam ir até o Canadá para ficar com ela. Tudo começou em 29 de agosto de 2021 quendo a jovem caiu de uma altura de 10 metros em estacionamento e sofreu uma grave queda que ocasionou um traumatismo craniencefálico (TCE) e lesões em múltiplas regiões do corpo. Após um mês internada e sem esboçar nenhuma reação, os médicos chegaram a dar 10% de chance de vida para ela e queriam desligar os aparelhos. Porém, a pedido dos pais de Duval, eles mantiveram ligado, que foi quando ela começou a esboçar uma reação e acordou após o terceiro mês. 

“Disseram à minha mãe que eu tinha 10% de chance de viver e que ela deveria ir para o Canadá o mais rápido possível porque as coisas não pareciam boas”, contou. “Mas isso foi no auge da pandemia e na Austrália não tinha permissão para entrar ou sair do país”, acrescentou e revelou que seus pais chegaram a falar com o governo australiano, mas eles se recusaram a dar autorização especial para poderem se despedir da filha. “Vê-los teria ajudado. Lutei muito, tive uma experiência de quase morte. Eu estava confusa, estava com medo e literalmente chorava todos os dias. Definitivamente era algo que eu nunca mais quero viver novamente e eu não quero ficar longe da minha família novamente”, contou. Hoje ela voltou para a Austrália e utiliza sua conta no Tik Tok para contar a sua história. 

 

@hotcomagirl1 Real coma experience vs. senior year coma experience! #fyp #coma #braininjuryawareness #braininjurysurvivor ♬ original sound – HotComaGirl113

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Arquibancada desaba e deixa quatro mortos em tourada na Colômbia

A queda de uma arquibancada durante uma tourada, neste domingo, 26, em El Espinal, na Colômbia, deixou ao menos quatro mortos e 70 feridos....
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com