Assaltantes devolvem celular e dinheiro após descobrir que vítima era esposa de líder do PCC

Criminosos que roubaram celular e dinheiro de uma...

Paula Belmonte aguarda TSE para saber se sairá candidata ao GDF

Nos 45 minutos do segundo tempo para o fim...

A empresa com lucro recorde maior que o PIB de mais de metade dos países do mundo

A gigante petrolífera saudita Saudi Aramco bateu seu próprio...

Eduardo Bolsonaro reclama da Anvisa por máscaras em voos: ‘Será eterna?’

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL-SP) foi às redes...

Agressor de procuradora vira réu por tentativa de feminicídio

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

A Justiça acatou a denúncia do Ministério Público de São Paulo (MPSP) contra o procurador municipal de Registro, no Vale do Ribeira, Demétrius Oliveira de Macedo, que agrediu a procuradora Gabriela Samadello Monteiro de Barros, sua chefe, dentro da prefeitura. A decisão torna o procurador réu por tentativa de feminicídio, injúria e coação no curso do processo. ebcebc

“O Ministério Público apresentou descrição suficiente dos fatos criminosos relacionados à ofensa à integridade corporal”, diz trecho da decisão proferida nesta terça-feira (28) pelo juiz Raphael Ernane Neves, da 1ª Vara de Registro. O procurador foi preso preventivamente após um vídeo com as agressões vir a público. 

De acordo com o MPSP, a denúncia, apresentada pelos promotores de Justiça Ronaldo Muniz e Daniel Godinho, mostra que Macedo agiu com “evidente intento homicida” e “tentou matar” Gabriela. Segundo os membros do órgão, o crime só não foi consumado porque houve a intervenção de outras pessoas.

As agressões ocorreram em 20 de junho, após a abertura de um processo disciplinar contra o procurador municipal, motivado pela agressividade no trabalho, conforme informou o Ministério Público de São Paulo.

Registro em vídeo do episódio, que circulou pelas redes sociais, mostra o procurador agredindo com socos e chutes Gabriela, mesmo caída no chão. As imagens também mostram Macedo empurrando outra funcionária, com força, contra uma porta.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Operação resgata gestante de trabalho escravo doméstico que nunca recebeu salário

Uma mulher foi resgatada de trabalho escravo doméstico, na cidade de Santa Terezinha, no Recôncavo baiano. De acordo com membros da operação, a mulher, que está grávida de...

Empresa é condenada a indenizar por obrigar vendedores a dançar ‘Conga la conga’

Uma empresa de telefonia e duas empresas terceirizadas deverão pagar R$ 150 mil de indenização a 22 vendedores obrigados a imitar a Gretchen, dançando "Conga la conga", além...

Perfil no Instagram denuncia casos de assédio moral e sexual em escritórios de advocacia

Diversos casos de assédio moral e sexual no ambiente da advocacia estão sendo expostos em uma conta no Instagram. A conta foi criada após um estagiário do escritório...