Aporte da CBF à Série D ajuda a ‘manter prática do futebol viva’, diz presidente da FTF

O aporte designado pela Confederação Brasileira de Futebol...

Texto da PEC que amplia benefícios vai ser mantida pelo relator na Câmara

O deputado Danilo Forte (União-CE), relator da PEC...

Lucas Selfie faz piada após treta entre Dynho e Christian Figueiredo

Lucas Selfie foi o co-host da entrevista de Christian...

Godoy sobre caso MEC: “Só Milton Ribeiro pode dizer o que aconteceu”

Em audiência pública na Câmara dos Deputados, o ministro...

Subsídio aos ônibus de BH passa por discussão final antes de ir à Câmara

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
O Projeto de Lei para pagamento de subsídios a empresas de ônibus de Belo Horizonte passará por discussão final nesta segunda-feira (16). Equipes técnicas da prefeitura e da Câmara Municipal da capital se reúnem para a finalização do texto que será entregue à presidente da Casa Legislativa, Nely Aquino (Podemos), na manhã de terça-feira (17). A proposta prevê a manutenção do preço das passagens e o aumento na oferta de horários dos coletivos na cidade.
Empresas de ônibus e o Grupo de Trabalho para debater a mobilidade urbana na capital (GT-MOBBH) chegaram a um acordo sobre valores e contrapartidas na última quinta-feira (12). 
As concessionárias receberão um subsídio de R$ 237,5 milhões até março de 2023. Em contrapartida, elas se comprometem a aumentar o número de viagens em dias úteis em, ao menos, 15% a partir do dia seguinte ao pagamento do primeiro aporte e em, ao menos, 30% após um mês. Além disso, o valor da tarifa principal na capital permanece em R$ 4,50.
Os vereadores tiveram um prazo para dar sugestões de mudança no texto do Projeto de Lei preliminar. Apenas dois parlamentares, Bráulio Lara (Novo) e Wesley Autoescola (PP), enviaram propostas.
À reportagem, o vereador Bráulio Lara disse que as propostas apresentadas têm dois pontos principais. O primeiro é estabelecer uma multa para as empresas quando as contrapartidas acordadas não forem aplicadas.
“Do jeito que o subsídio está, eu digo que é ‘pré-pago’, primeiro paga e depois tem o aumento nas viagens. A ideia é estabelecer uma penalidade para quando a meta não for alcançada. No caso de nenhuma melhoria no serviço ser ofertada, o valor da multa deveria ser o total do repasse”, avalia o vereador.
A segunda sugestão do parlamentar é pedir às empresas que apresentem uma estratégia de operação, com as linhas e itinerários programados para que seja possível averiguar se o planejamento está sendo cumprido.
A reportagem entrou em contato com o vereador do PP e aguarda o retorno para que ele também apresente as sugestões feitas para o texto do projeto.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Destruição de casa pela PBH indigna moradores da Vila do Carrapato, em BH

Após uma casa em construção ser destruída pela PBH em uma ocupação no bairro Santa Lúcia, em Belo Horizonte, os moradores protestaram, indignados. Eles...

Suspeito de render e assaltar família em Betim é morto a tiros

Um dos homens suspeitos de render uma família em uma casa em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, e roubar diversos itens do...

Ônibus com 43 passageiros pega fogo na BR-050, em Uberaba

Um ônibus com 43 passageiros pegou fogo na madrugada dessa segunda-feira (4) na BR-050, altura de Uberaba, no Triângulo Mineiro. O coletivo teria saído...