‘Rumo ao acesso’, avisa Marco Antônio, autor de dois gols contra o Brasil-RS

Cria das categorias de base do Vitória, o...

Um dia para celebrar a democracia no Brasil

O dia 11 de agosto de 2022 vai...

Sedã avança cruzamento e esmaga Lamborghini na Inglaterra; veja vídeo

Na cidade de Leeds, na Inglaterra, um sedã...

Volante Léo Gomes assiste vitória rubro-negra no meio da torcida

Suspenso na partida contra o Brasil de Pelotas,...

SP: Ministério Público investiga ação da prefeitura na Cracolândia

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito civil para apurar se houve irregularidades nas intervenções da prefeitura de São Paulo na região da Cracolândia, especialmente nos dias mais violentos da operação: 12 e 13 de maio.ebc.png6282d95a9120cebc.gif6282d95b04c7a

Na noite de quinta-feira, Raimundo Nonato Fonseca Junior, de 32 anos, foi baleado e morto. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, três policiais civis teriam sido responsáveis pelos tiros que mataram o usuário de crack.

No ofício que instaura o inquérito, os quatro promotores que vão ficar responsáveis pelos trabalhos no Ministério Publico argumentam que a operação realizada na região da Praça Princesa Isabel, no centro de São Paulo, que passou a ser conhecida como Nova Cracolândia, foi mais violenta que a operação realizada em 2012, que ficou conhecida como “Dor e Sofrimento”.

Naquela época, o prefeito era Gilberto Kassab, do PSD, e a própria prefeitura divulgou que operação tinha a intenção deliberada de causar intenso sofrimento físico e psíquico nos dependentes químicos como meio de forçá-los a buscar tratamento. Dez anos depois, o número de pessoas que fazem uso de crack na região continua o mesmo: cerca de DUAS mil pessoas no período noturno.

Vão ser convocados para prestar depoimento o secretário municipal de Assistência Social, Carlos Bezerra Júnior, o secretário municipal de Saúde, Luiz Carlos Zamarco, o comandante da Guarda Civil Metropolitana, Agapito Marques e o coordenador do programa “Rendenção”, Artur Guerra. Quando foi lançado, em 2017, ainda sob a gestão de João Dória, do PSDB, a promessa do programa Rendenção era promover cidadania e dignidade na região, especialmente para os dependentes químicos.

Geral São Paulo 16/05/2022 – 19:53 Roberto Piza / GT Passos Eliane Gonçalves – Repórter da Rádio Nacional MP Prefeitura Cracolândia segunda-feira, 16 Maio, 2022 – 19:53 1:47

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS