Morre Felipe Carauta, ex empresário de Caio Castro e Klebber Toledo

O meio artístico acaba de sofrer uma grande perda....

Técnico do Vasco aposta em evolução de Alex Teixeira na equipe

Principal reforço do Vasco nesta janela do mercado da...

Famosos fazem homenagens para família e comemoram o Dia dos Pais

CAMPINAS, SP (FOLHAPRESS) - Como em todas as datas...

Luís Eduardo Magalhães: Homem é morto a tiros enquanto jogava sinuca em bar 

Um homem foi morto a tiros na noite...

Receita cria novos programas de combate ao contrabando

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

A Receita Federal está intensificando o combate a bens contrabandeados ou que burlam as regras tributárias vigentes. Um programa de rastreabilidade fiscal recém-lançado e uma medida provisória com foco nos “camelódromos virtuais” são parte da estratégia para vencer esses problemas, e foram tema da entrevista do secretário Especial da Receita Federal, Júlio César Gomes, para o Brasil em Pauta, deste domingo (1º).ebc.png626eaf2106972ebc.gif626eaf21388e0

O programa de rastreabilidade fiscal começou neste mês e foi desenvolvido com base em boas práticas já executadas por outros países. “Nós temos uma grande quantidade de produtos e mercadorias que ingressam no país de forma irregular. Sem pagar tributo e sem saber a procedência”, disse o secretário.

Segundo ele, por meio do programa, se conhecerá toda a trajetória de um produto desde a origem até que ele chegue ao consumidor. “Você pode saber se houve o pagamento do tributo, se esse produto não foi desviado, se a procedência é legal, regular”, explicou.

Outra iniciativa é uma medida provisória que deverá tratar sobre plataformas e aplicativos de e-commerce que vendem diversos produtos importados, mas sobre os quais não se sabe a verdadeira procedência. De acordo com o secretário, muitos vendedores se fazem passar por pessoas físicas quando, na verdade, são empresas constituídas para se valer de isenções, o que constitui fraude.

César Gomes chamou esses aplicativos de “camelódromos” virtuais. Segundo ele, hoje o Brasil recebe cerca de 500 mil dessas encomendas por dia. “É uma quantidade muito elevada. A gente precisa interferir nessa dinâmica para proteger nossa indústria nacional, nossas empresas e o emprego no nosso país. A ideia é dar um novo tratamento tributário a esses produtos”.

O secretário da Receita Federal também falou sobre outros programas da Receita com foco no contribuinte.

O Brasil em Pauta vai ao ar às 19h30 deste domingo (1º) na TV Brasil.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Noivos são roubados após festa de casamento e lua de mel é adiada

Um casal de São Paulo passou por um susto após voltar da festa de seu casamento. A auxiliar administrativo Nataly Ester Correa da Silva, de 20 anos, e...

Cresce o número de pais solo no Brasil, e especialista diz que ‘desafios são grandes’

O Dia do Pais de 2022 é comemorado neste domingo, 14 de agosto. Essa data é simbólica, merecida, mas todo dia é dos pais, assim como todo dia é...

Mega-Sena: 4 apostadores dividem o prêmio e “faturam” R$ 6,6 milhões, cada

Quatro apostadores acertaram as seis dezenas sorteadas ontem (13/08) no concurso 2510 da Mega-Sena. O prêmio estimado de R$ 27 milhões foi dividido entre os quatro sortudos, que levaram exatos...