Na luta contra o rebaixamento, VP do Brasil de Pelotas mostra preocupação com arbitragem

O Brasil de Pelotas encara o Vitória, no...

Com paz selada em reunião, Bolsonaro confirma presença em posse de Moraes no TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou que irá...

RJ: polícia apreende uma tonelada de droga durante operação na Maré

Rio de Janeiro- Uma operação conjunta entre Polícia Militar...

Foto de gato selvagem caçando flamingo ganha prêmio de imagens de natureza; veja outras premiadas

A imagem impressionante de um lince-do-deserto (ou caracal) caçando...

Jornalista da Al Jazeera morre durante cobertura de operação militar israelense

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
000 329v4nh

A jornalista palestino-americana Shireen Abu Aqlhe, do canal Al Jazeera, morreu nesta quarta-feira, 11, após ter sido atingida por tiros enquanto trabalhava na cobertura de uma operação do exército israelense no campo de refugiados de Jenin, na Cisjordânia ocupada. A repórter tinha 51 anos e era um dos principais nomes do veículo. O canal afirmou que foi assassinada “deliberadamente e a sangue-frio” pelas forças armadas de Israel. Entretanto, Naftali Bennett, primeiro-ministro do país, disse que “provavelmente”, a jornalista foi morta por tiros palestinos.O produtor Al Samudi também participava da cobertura e ficou ferido. Jornalistas da AFP afirmaram que Shireen usava colete de imprensa quando foi atingida e que as forças israelenses estavam atirando no local. O repórter também viu o corpo da jornalista da Al Jazeera no chão em um local em que não havia palestinos armados. 

O exército de Israel confirmou que havia uma operação em curso na região, que é um reduto de grupos armados palestinos, mas negou ter atirado contra profissionais da imprensa. Os militares citaram uma troca de tiros entre suspeitos e forças de segurança e afirmaram que estão “investigando o fato da possibilidade de que os jornalistas foram atacados por palestinos armados”. À AFP, um comandante militar de Israel disse que o exército “certamente não ataca jornalistas”. A Al Jazeera pediu à comunidade internacional que responsabilize Israel pela morte de Shireen. “Em um assassinato flagrante que viola as leis e normas internacionais, as forças de ocupação israelenses assassinaram a sangue frio a correspondente da Al Jazeera nos territórios palestinos”, disse o veículo. 

O ministro das Relações Exteriores de Israel,Yair Lapid, afirmou que o país quer participar da investigação da morte de Shireen. “Os jornalistas devem ser protegidos nas zonas de conflito e temos a responsabilidade de chegar à verdade”, afirmou. Entretanto, Hussein Al Sheikh, funcionário da administração palestina disse que não houve contato da parte de Israel para uma investigação conjunta. Palestinos jogaram flores na estrada durante a passagem do veículo que transportava o corpo da jornalista no norte da Cisjordânia. Tom Nides, embaixador dos Estados Unidos em Israel, disse estar “muito triste” com o episódio e pediu que as circunstâncias da morte da jornalista sejam investigadas. A morte da jornalista acontece quase um ano depois de um ataque israelense destruir o edifício em Gaza que abrigava os escritórios da Al Jazeera e da agência de notícias AP durante a guerra contra o movimento islamita palestina Hamas. Na época, Israel afirmou que a torre abrigava escritórios de membros importantes do Hamas, que governa a Faixa de Gaza

*Com informações da AFP

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Pai de quíntuplos é criticado por usar ‘coleita infantil’ e rebate: ‘Adestrando meus cães’

Um vídeo de Jordan Driskell passeando com seus quíntuplos de 5 anos em um aquário dos Estados Unidos viralizou na internet e dividiu opiniões. Tudo porque uma parte dos...

Turista americana é estuprada em banheiro público no centro de Paris

Uma turista americana de 27 anos foi estuprada no último sábado, 6, dentro de um banheiro público no centro de Paris, na França, enquanto fazia um passeio noturno à...

Menina de 12 anos salva de casar com homem de 70 anos antes da cerimônia

Uma menina de 12 anos foi salva de casar com um homem de 70 anos, contra a sua vontade, momentos antes da cerimônia no Quênia.  A notícia foi divulgada pelo...