Veja os looks do live-action de ‘Barbie’ com Margot Robbie e Ryan Gosling

Margot Robbie encontra-se em gravações para o filme ‘Barbie’...

Zé Cocá busca apoio para avançar com PEC da Redução da Alíquota do INSS

O presidente da União dos Municípios da Bahia...

Presidente do Vitória confirma interesse no lateral Patric Calmon

O presidente do Vitória, Fábio Mota, confirmou o...

Endividamento das famílias: dicas para manter as finanças pessoais em dia

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
O percentual de famílias que relataram ter dívidas a vencer alcançou 77,7% em abril, a maior proporção da série histórica da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic). Apurado desde janeiro de 2010 pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), o índice avançou 0,2 ponto percentual no mês e 10,2 pontos percentuais em relação a abril de 2021, quando a parcela correspondia a 67,5%.
De acordo com a pesquisa, a tendência de alta no endividamento se mantém ainda com os juros de mercado mais elevados. “A inflação alta, persistente e disseminada (IPCA em 11,3% ao ano) estimula a necessidade de crédito para recomposição da renda, fazendo com que as famílias encontrem nos recursos de terceiros uma saída para a manutenção do nível de consumo”, avalia o presidente da CNC, José Roberto Tadros.
 
A consultora contábil Dora Ramos, CEO da Fharos Contabilidade e Gestão Empresarial, dá dicas para se manter as contas equilibradas e evitar a inadimplência. A visualização do diagnóstico financeiro, permite reunir todas as informações para fazer controle de gastos e definir custos que devem ser mantidos ou não. 
 
“Um dos primeiros passos é começar registrando todas as informações financeiras para saber exatamente quais são as contas fixas, os gastos supérfluos e o total de dívidas. Caso prefira utilizar a tecnologia, há aplicativos que disponibilizam funcionalidades como o registro dos cartões de crédito e, por meio desses dados, criam gráficos e relatórios demonstrando os gastos separados por segmentos. Com essa visão, é possível entender, inclusive, o quanto você conseguirá poupar em curto e longo prazo.”
 
Dora Ramos sugere que a pessoa divida sua renda em regras de pagamentos, dividindo 50%, 35% e 15%, planejando o pagamento de contas, para o lazer e uma reserva para investimentos. Metade seria para os gastos essenciais fixos e, proporcionalmente, 35% para lazer e as demais reservas de emergência. 
 
“Eu acredito que não há situação mais desafiadora do que chegar no momento de pagar as contas mensais e ver que o seu dinheiro sumiu, seja por conta de dívidas ou rendimentos insuficientes. Para evitar esse cenário, confira dicas para ajudar a lidar com o orçamento apertado, melhorar sua relação com o dinheiro, bem-estar e condições de crescimento.”
 
A consultora recomenda ainda uma reserva financeira de emergência “por menor que seja a quantia, e por menor que sejam os rendimentos, faça economias mensais, pois esse dinheiro não só pode te salvar de um aperto futuramente, como, também, pode ser a porta de entrada para outros tipos de investimentos rentáveis”.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Servidores do BC manterão greve até segunda-feira

Em greve há quase três meses, os servidores do Banco Central (BC) manterão o movimento até a próxima segunda-feira (4). Em assembleia, a categoria...

Brasil criou 277 mil empregos com carteira no mês de maio, aponta Caged

No mês de maio foram criadas 277.018 vagas de emprego com carteira assinada no Brasil. Segundo os dados do Cadastro Geral de Empregados e...

Preço médio do litro de gasolina pode cair para R$ 5,84 com medidas do governo, afirma ministro de Minas e Energia

O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, apresentou dados que apontam que o preço médio do litro de gasolina no Brasil pode passar...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com