Bolsonaro obriga postos a informarem queda no preço dos combustíveis

O presidente Jair Bolsonaro (PL) assinou decreto estabelecendo a...

TCU investiga ”abuso de poder político e econômico” da PEC dos auxílios

Brasília – O Tribunal de Contas da União (TCU)...

Preso estudante que tirou foto íntima de colega e compartilhou no WhatsApp

Um estudante, de 18 anos, de uma escola estadual...

Boris Johnson é pressionado a deixar liderança do Partido Conservador do Reino Unido

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, é pressionado a renunciar...

Eclipse deixa a Lua avermelhada e encanta observadores na madrugada desta segunda-feira

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – “Olhem a Lua”, recomendaram internautas nas redes sociais entre a noite deste domingo (15) e a madrugada desta segunda-feira (16), em um alerta para o eclipse total da Lua que deixou muita gente acordada até mais tarde para observar o evento astronômico.

Esse tipo de eclipse acontece de duas a três vezes por ano, mas nem sempre é plenamente visível em todos os cantos do mundo. Dessa vez, a América do Sul pode acompanhar o evento do início ao fim.

A Lua de sangue, como esse fenômeno é popularmente conhecido, pode ser apreciada não só na América do Sul, mas também na América Central e parte da América do Norte, bem como em algumas áreas da Europa e África.

O satélite com tons avermelhados é o resultado do momento em que a Lua cruza a sombra da Terra, iluminada pelo Sol. Quando Sol, Terra e Lua se alinham, exatamente nessa ordem, nosso satélite natural passa por trás da sombra terrestre. É esse o eclipse lunar, que pode ser parcial, se a sombra ocupa somente um pedaço da Lua, ou total, caso a superfície lunar chegue a se esconder inteiramente sob a sombra.

Para Mariano Rivas, chefe de Divulgação Científica do Planetário de Buenos Aires, o eclipse é “um dos fenômenos mais simples e impressionantes da natureza”, já que a Lua, ao entrar na sombra causada pela Terra, faz com que o satélite “assuma uma cor vermelho-alaranjada pálida por uma hora e meia.

Em São Paulo, o Planetário Ibirapuera, no parque de mesmo nome, promoveu uma virada noturna para observação do fenômeno. Na internet, canais como o mantido pelo Observatório Nacional, realizaram transmissões ao vivo e foram acompanhados por milhares de pessoas.

Em Campinas, o Observatório Municipal de Jean Nicolini disponibilizou telescópios para assistir o fenômeno.

O Planetário do Rio, chamado de Planeta.RIO, na Gávea, também permitiu o uso de seus telescópios, gratuitamente, para observação do fenômeno.

O Clube de Astronomia de Brasília se concentrou na praça dos Três Poderes, ao lado do Espaço Lúcio Costa, para observar o eclipse.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Violência armada nos EUA mata uma pessoa a cada 26 minutos

(FOLHAPRESS) - Um homem sacou uma arma nesta quarta-feira (6) após uma briga em Raleigh, no estado americano da Carolina do Norte, e os...

Onde cigarro eletrônico é liberado e onde venda é proibida?

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta quarta-feira, 6, manter a proibição de venda de cigarros eletrônicos no Brasil e ampliar a...

Pílula contra ressaca começa a ser vendida na Europa; entenda

Começou a ser vendida nesta semana na Europa uma pílula que promete aliviar os efeitos da ressaca. Dois comprimidos do suplemento Myrkl devem ser...