‘Aqui não é comício’, diz Elba Ramalho em meio a gritos de ‘Fora, Bolsonaro’

A cantora Elba Ramalho interrompeu um coro de...

Último dia de festa junina em Salvador tem público animado

Forró, brincadeiras, comidas típicas e vontade de que...

PM morre em batida entre moto e carro na BR-030, em Brumado

Um policial militar morreu ao bater a moto...

P

Na tarde deste domingo, o Palmeiras visitou o Avaí,...

Divinópolis: secretária de Educação volta para o cargo após afastamento

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
A secretária de Educação de Divinópolis, no Centro-Oeste de Minas, Andréia Dimas foi reconduzida para o cargo após ser ouvida na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que apura gastos com a pasta. Ela estava afastada e foi a primeira a depor nas oitivas que começaram nesta sexta-feira (27/5) e seguem até o próximo mês.
Andreia foi afastada temporariamente no dia 11 de maio por decisão do prefeito Gleidson Azevedo (PSC) em decorrência das investigações. Ao anunciar que o decreto foi revogado, Azevedo alegou que se baseou nos esclarecimentos obtidos por meio dos depoimentos. 
Além da secretária da pasta, foram ouvidos o procurador Sérgio Mourão e o secretário de Administração, Thiago Nunes. Andreia, alegou que a participação dela no processo de compras foi apenas pedagógica na seleção dos itens e especificações.
Ela apontou que o processo também passou pelas secretarias de Governo, Administração, além da procuradoria e controladoria. As compras foram realizadas por meio de adesões a sete atas de registros de preços.
Ao todo, segundo o Portal da Transparência, foram empenhados cerca de R$ 17 milhões para pagar mobiliários, brinquedos, notebooks para as unidades escolares. 
A CPI apura possíveis superfaturamentos. Levantamento feito pela relatora, a vereadora Lohanna França (PV) aponta indícios de formação de cartel.

Novo decreto

O novo decreto diz que a secretária deve retomar às suas atividades de rotina, na forma regulamentar.
Para justificar a decisão, o prefeito ainda cita pedidos explicitados feitos por vereadores, além do clamor dos servidores da pasta. A CPI também deixou claro, por várias vezes, que o afastamento não foi solicitado por ela.
Durante a oitiva dessa sexta-fera (27), educadores lotaram o plenário em defesa de Andreia, pedindo a revogação do decreto que a afastou. Foi criado o Movimento Apoio e Valorização da Educação Municipal formado por profissionais e também pais de alunos. Uma petição recolheu 899 assinaturas. 
Com o retorno de Andreia Dimas, fica exonerado, a pedido, o secretário interino nomeado para o cargo, o assessor de gabinete, Fernando Henrique Costa.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

‘Aqui não é comício’, diz Elba Ramalho em meio a gritos de ‘Fora, Bolsonaro’

A cantora Elba Ramalho interrompeu um coro de "Fora, Bolsonaro" do público durante show no Parque de Exposições, em Salvador, neste domingo. Ela...

Exclusivo: ex-presidente da Petrobras diz que celular tinha mensagens que incriminam Bolsonaro

Durante uma discussão em um grupo de economistas, o ex-presidente da Petrobras Roberto Castello Branco afirmou que devolveu seu celular corporativo à estatal, ao...
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com