Salvador amplia 4ª dose de vacina contra Covid-19 para população com 18 anos ou mais

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) anunciou a...

Relação de gestores com contas reprovadas pelo TCE-BA tem 543 nomes; veja lista

Entre os gestores baianos, 543 deles estão na...

Na 5ª colocação, técnico do Londrina se mantém confiante no acesso: ‘Vamos jogo a jogo’

Atualmente na quinta colocação da Série B, com...

Jequié: PM apreende cerca de 130 quilos de maconha em bagageiro de ônibus turístico

128 tabletes de maconha foram apreendidos na noite...

Camisa 10 do Náutico se desculpa por ir para cima de árbitra: ‘Perdi a cabeça’

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

O meio-campista Jean Carlos, camisa 10 e um dos principais jogadores do Náutico, foi às redes sociais neste domingo para pedir desculpas pela atitude lamentável que teve diante da arbitragem na final do Campeonato Pernambucano, contra o Retrô, neste sábado, na Arena Pernambuco. Irritado ao ser punido com o cartão vermelho, ele partiu para cima da árbitra Deborah Cecília e precisou ser contido pelos colegas antes de se dirigir ao vestiário.

“No momento da expulsão, sim, eu fiquei muito chateado, perdi a cabeça, porque eu sabia que não tinha dado a cotovelada e sim que eu tinha feito o movimento de tirar o braço”, argumentou . “Em nenhum momento a xinguei.”

Jean Carlos recebeu o vermelho ainda no primeiro tempo por ter desferido uma cotovelada no jogador Yuri Bigode. O lance foi assinalado com o auxílio do VAR. Após a marcação da falta e a aplicação do cartão, o jogador correu em direção da árbitra, que afastou o meia com o braço.

“Em todo momento que fui para cima, para falar com ela, era sobre que eu tinha tentando tirar o braço dele, que não tinha dado a cotovelada, mas entendo que pelas imagens parece que eu poderia fazer algo. Jamais encostei a mão em uma mulher e jamais encostaria. Se a Deborah achou em algum momento que isso poderia acontecer, peço desculpas a ela, peço desculpas a todas as mulheres, a todas as torcidas.”

Apesar do pedido de desculpas, o jogador corre risco de ser punido pelo destempero. A atitude do camisa 10 foi relatada na súmula da partida por Deborah, que citou uma tentativa de agressão por parte do jogador.

“Após eu ter apresentado o cartão vermelho direto, o jogador expulso partiu em minha direção na tentativa de me agredir, sendo contido pelo árbitro assistente Clóvis Amaral, e por seus companheiros de equipe, além disso relutou a sair do campo de jogo, sendo retirado por seus próprios companheiros de equipe”, diz a súmula.

Com a bola rolando, o Náutico venceu o Retrô por 1 a 0 no tempo normal, mesmo resultado do jogo de ida. Nos pênaltis, o goleiro Lucas Perri brilhou com duas defesas e ajudou o Retrô a levantar a taça de bicampeão do Pernambucano.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

‘Desmanchou, mas não caiu’, diz titular da SETRE sobre Centro de Canoagem de Ubaitaba

O titular da Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte da Bahia (Setre), Davidson Magalhães (PCdoB), disse, em entrevista ao podcast Projeto Prisma, na tarde desta segunda-feira (15), que...

Na 5ª colocação, técnico do Londrina se mantém confiante no acesso: ‘Vamos jogo a jogo’

Atualmente na quinta colocação da Série B, com 34 pontos, o Londrina permanece confiante no acesso para a Série A do Brasileirão. A equipe vem de dois jogos...

Rogério Ceni pode ter dois reforços no São Paulo para decisão contra o América-MG

Rogério Ceni pode ter duas novidades para o duelo do São Paulo diante do América-MG, marcado para esta quinta-feira, 18, no Independência, pela rodada de volta das quartas de...