Thaciano volta ao Grêmio e ficará disponível a partir de 18 de julho

O volante Thaciano, ex-Bahia, está de volta ao...

Ex-BBB Carla Diaz relembra diagnóstico de câncer: “Precisei me fechar”

A atriz Carla Diaz usou as redes sociais na...

Consórcio que administra Maracanã proíbe faixas do Vasco

O consórcio Maracanã, que administra o estádio, impediu...

Câmera flagra mulher sendo agredida por ex-marido no Sul de Minas

Publicado em:

Compartilhe esse artigo
Câmeras de segurança de um estacionamento comercial de carros flagraram um empresário agredindo uma comerciante no último dia 10, em Pouso Alegre, no Sul de Minas. A vítima, de 42 anos, que está em tratamento de um câncer, relatou à Polícia Militar que vem sofrendo violência doméstica há mais de 15 anos, por parte do homem, até então seu companheiro. O casal está em processo de separação.
O Terra do Mandu teve acesso às imagens nesta quinta-feira (26/05). Os nomes dos envolvidos não foram informados. O endereço do local onde aconteceram as agressões também não foi divulgado.

As imagens

Pelas imagens, é possível ver que a mulher está usando o telefone celular, quando o homem chega no estacionamento e, aparentemente alterado, vai em direção à ex e a empurra contra a parede. Em seguida, ele puxa os cabelos da comerciante e a joga ao chão.
Na sequência, um funcionário do local aparece e tenta segurar o homem, que segue gritando e apontando o dedo contra a mulher por alguns minutos. Dois minutos depois de entrar no local, o homem sai, enquanto a mulher fica dentro do escritório do estacionamento.
Em pouco tempo, ele retorna e continua gritando com a vítima, mas é contido por outras duas pessoas, o mesmo funcionário que aparece na imagem anteriormente e uma mulher de capacete no vídeo. Em seguida, o empresário deixa o local.
Segundo apurou a reportagem, a vítima não teve forças para chamar a polícia na hora e só conseguiu registrar um boletim de ocorrências, pedindo medida protetiva, quatro dias após as agressões.
“A vítima relatou que após uma discussão por telefone, o autor teria dito que iria até o local em que ela estava para matá-la, que chegando, lhe pegou pelos cabelos e a jogou contra o chão causando lesões nos dois joelhos, vindo a rasgar a calça”, contou a Polícia Militar.
Ainda segundo a PM, a vítima “foi orientada a proceder com a devida Representação junto a Delegacia da Mulher para demais providências, como, por exemplo, pleitear uma Medida Protetiva de Urgência contra o autor”, encerrou a PM.

Como denunciar violência doméstica

A Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180 presta uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgão competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.
O serviço também fornece informações sobre os direitos da mulher, como os locais de atendimento mais próximos e apropriados para cada caso: Casa da Mulher Brasileira, Centros de Referências, Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam), Defensorias Públicas, Núcleos Integrados de Atendimento às Mulheres, entre outros.
A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher.
Unidade de combate será instalada em Pouso Alegre
Pouso Alegre é uma das três cidades de Minas Gerais que receberão a Unidade de Prevenção à Criminalidade (UPC) do programa “Enfrentamento à violência contra a mulher”.

O serviço é do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), com objetivo de responsabilizar homens autores de violência doméstica, ao participarem de grupos reflexivos, e atender às vítimas, com atenção ao fortalecimento da rede de proteção social para intervenções sobre o tema.

Minas Gerais teve uma morte por feminicídio a cada 2,5 dias, entre 2016 e 2020. São 147 casos por ano. Os dados são citados pela promotora de Justiça e coordenadora do Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Combate à Violência contra a Mulher (CAO-VD) do MPMG, Patrícia Habkouk.
A violência doméstica e familiar “representa grande parte das ações e inquéritos em Pouso Alegre”, cita o promotor de Justiça do município, Marcos Fonseca. “Ao atuar também junto aos agressores, temos mais chances de encerrar o ciclo da violência, que ceifa a vida de muitas mulheres”, completa.
Além de Pouso Alegre, Barbacena e Curvelo também receberão unidades no estado. As três cidades cumprem três critérios, segundo a promotora: Índices de violência doméstica e familiar, população com cerca de 100 mil pessoas e inexistência de serviços especializados.
Para o promotor em Pouso Alegre, “a intenção é tentar modificar essa cultura do machismo intrínseco na sociedade, para que, no futuro, tenhamos mais respeito às mulheres”. A data de instalação em Pouso Alegre ainda será definida, bem como a abertura de processo seletivo para contratação de profissionais.
O prefeito de Pouso Alegre, Coronel Dimas, comemora a vinda do serviço, afirmando que “uma unidade como esta irá reforçar a segurança, principalmente para as mulheres vítimas de violência doméstica, e elas vão ter um atendimento mais especializado”, disse.
Iago Almeida / Especial ao EM

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Visitantes têm acesso a exames médicos de graça na Expomontes

 Montes Claros, no Norte de Minas, estará em festa neste domingo, com a comemoração do Aniversário da Cidade – 165 anos de emancipação do...

Polícia prende empresário que torturou e matou homem com choques elétricos

A Polícia Civil de Araxá, no Alto Paranaíba, prendeu nesta sexta-feira (1°/7), o empresário Silvio Fernandes Machado, de 50 anos, suspeito de torturar dois homens com...

Deputado estadual é suspeito de causar acidente em BH após beber e dirigir

O deputado estadual mineiro Gustavo Santana, do PL, é suspeito de ter protagonizado um acidente de trânsito na madrugada deste sábado (2/7), em Belo...