Mídia argentina encara atuação de Benedetto como um ‘pesadelo’ e chama queda do Boca de ‘inesperada’

“Pesadelo” e “noite negra” foram algumas das expressões utilizadas...

PF deflagra operações contra o tráfico de drogas em 11 Estados

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, 6, duas grandes...

Postos anunciarão preço de combustível válido antes da redução do ICMS

A partir desta quinta-feira (7), os postos de...

Thor ganha uma parceira no amor e na guerra

Cinco anos depois do diretor Taika Waitit conquistar...

SSP/BA questiona ranking das cidades mais violentas

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

A Secretaria da Segurança Pública ressalta, novamente, que desconhece a metodologia utilizada para a contagem das mortes nos estados brasileiros, como a publicada pelo IPEA esta semana. A diferença no resultado dos rankings divulgados por tais estudos mostram a discrepância da forma de coleta de dados, apontando, em cada uma delas, um município diferente como o mais violento por 100 mil habitantes.

Mais uma vez, a SSP-BA entende que, enquanto não houver uma padronização na coleta destas informações junto a todos os estados, pesquisas como a publicada em nada vão colaborar para entender a real situação dos municípios e a dinâmica da violência no país.

mapa da violencia 2017Exemplificando, em uma cena de crime com 5 mortos por arma de fogo, na Bahia, e demais estados nordestinos, são contabilizados 5 homicídios. Em outros estados, com essa mesma situação, é contabilizado apenas 1 homicídio. Outro ponto diferente é a utilização da classificação ‘mortes a esclarecer’. Tem estado que no final do ano computa 4 mil homicídios e outras 3 mil mortes a esclarecer. Nestes casos as pesquisas utilizam apenas o dado ‘oficial’ de 4 mil.

Destaca que o Ministério da Justiça já reconheceu que a falta de metodologia única para contagem dos casos colabora para a criação equivocada de rankings de cidades. Logo, se cada estado contabiliza de forma diferente é impossível compará-los.

Por fim a SSP reforça a necessidade da unificação da metodologia e a necessidade de o Governo Federal implantar um plano de segurança com investimentos na área de modo que as informações sobre a violência sirvam de fato para estabelecer estratégias para diminuí-la.

Assessoria de Comunicação/Secretaria da Segurança Pública da Bahia

.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais de 5 toneladas de drogas são incineradas pela polícia na Bahia

Mais de cinco toneladas de drogas foram incineradas durante a Operação Narco Brasil, na Bahia, nessa quarta-feira (6). A operação foi executada pela...

Santoro estrela série Sem Limites, épico histórico da Prime Video

No final dos anos 90, Rodrigo Santoro era um dos maiores candidatos a galã do país. Poderia ter se contentado com aquilo, mas...

Especulação imobiliária e violências ameaçam terreiro de candomblé em Brumado

O sacerdote de matriz africana Pai Dionata de Xangô buscou a delegacia de Brumado duas vezes esta semana para registrar violências e atos...