Nova Viçosa: Vice-prefeito segue hospitalizado; prefeitura corrige informação

O vice-prefeito de Nova Viçosa, no Extremo Sul,...

Bellintani diz que negociação da SAF do Bahia está em fase de “detalhamento jurídico”

O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, afirmou, nesta...

Campanha de Jerônimo reúne prefeitos dos 27 territórios da Bahia para gravar apoio

O candidato a governador pelo PT, Jerônimo Rodrigues,...

Luva de Pedreiro e Ronaldo, o encontro dos fenômenos

Aos poucos, o influenciador Iran Ferreira, o Luva de...

Comitiva se reúne com senador para pedir apoio aos pescadores baianos

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

A Portaria 445 do Ministério do Meio Ambiente (MMA) colocou em risco a sobrevivência de milhões de pescadores em todo o país. Na última sexta-feira (21), centenas de pessoas se uniram para bloquear várias rodovias em protesto à proibição de 475 espécies de peixes, durante o período de 10 anos.

O Terminal Pesqueiro de Alcobaça, no extremo sul da Bahia, está entre os maiores produtores de peixes do Brasil. Por conta dessa importância na economia regional, nesta segunda-feira (24), uma comitiva viajou para a capital do estado, afim de representar os interesses da classe de pescadores, num encontro com o Senador da República, Otto Alencar.

comitiva em salvador pede apoio aos pescadores baianos 2
Encontro discutiu a proibição de quase 500 espécies de peixes

A pauta foi justamente o pedido de socorro contra a proibição da portaria 445, considerada como arbitrária pela categoria, devido à forma como foi implementada. A comitiva contou com a presença do Presidente da APES (Associação dos Prefeitos do Extremo Sul da Bahia), Léo Brito (Prefeito de Alcobaça) e Timóteo Brito (Prefeito de Teixeira de Freitas), acompanhados do vereador de Alcobaça e Presidente da Colônia de Pescadores Z-24, Pedro Samarone (conhecido como ‘Gó da Colônia’), e do pescador e empresário Gilmar Cândido, conhecido como ‘Gordinho’.

‘Gó da Colônia’ (vereador e pescador em Alcobaça) afirmou que a classe não é contra a preservação das espécies. “Não somos contra preservar, no entanto, não podemos concordar com a forma como a portaria foi determinada, sem estudo amplo e sem a discussão com a sociedade, sobre os impactos socioambientais nas diferentes regiões do país. Para se ter uma ideia, um bagre extinto na Lagoa dos Patos, numa única tarrafada dá pra encher um caminhão aqui no rio de Alcobaça”, explicou.

O Prefeito Léo Brito comentou o impacto da portaria na economia e na vida dos pescadores. “Só em Alcobaça temos milhares de pessoas vivendo da pesca. Com essa proibição, o que será dessas famílias e do dinheiro que circulava em toda a região?”, pergunta.

.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Caravelas conquista recursos para a reforma de unidades básicas de saúde

Essa é mais uma conquista importante na viagem do Prefeito de Caravelas, Silvio Ramalho, à Salvador.    Nesta segunda-feira (07), o Governo da Bahia já havia autorizado a construção de 45 casas populares, antes...

Reunião discute solução para pendências de projetos de energia elétrica no município de Caravelas

A Reunião aconteceu no Gabinete da Prefeitura de Caravelas, com presenças de Jainan Bassete e Geovana Gama (ambos analistas comerciais da Coelba NeoEnergia), Thabata Siquara (Procuradora Jurídica Municipal) e...

Prefeitura de Prado e Secretaria de Infraestrutura da Bahia discutem medidas para melhorar segurança nas avenidas em Prado

Dentre as medidas imediatas, estão a instalação de redutores de velocidade (quebra-molas) e maior sinalização de trânsito em vários trechos da área urbana da cidade do Prado. A medida visa...