Jequié: PM apreende cerca de 130 quilos de maconha em bagageiro de ônibus turístico

128 tabletes de maconha foram apreendidos na noite...

DF tem 116 casos confirmados de monkeypox, aponta Secretaria de Saúde

O Distrito Federal tem 116 casos confirmados de monkeypox...

Urnas: o que é e como funciona a fiscalização do código-fonte

Investigado por: Correio Braziliense e Jornal Plural Comprova Explica: O...

Homem sofre queimaduras ao encostar em fios de alta tensão de antigo motel

Um homem de 30 anos sofreu várias queimaduras no...

Com graves irregularidades, TCM rejeita contas da Prefeitura de Itabela

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo

 

Contas da Prefeitura de Itabela, durante a gestão de Osvaldo Gomes Caribé, relativas ao exercício de 2012, são consideradas irregulares e tem parecer favorável à rejeição. O entendimento do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia (TCM/BA) se baseou no descumprimento aos Índices Constitucionais e da falta de comprovação de gastos. Em garantia do contraditório e da ampla defesa, o gestor ainda pode recorrer da decisão.

A decisão é desta terça-feira, dia 24. Com base nas graves irregularidades remanescentes de exercícios anteriores, o relator, Conselheiro Raimundo Moreira, encaminhou pedido de que o ex-gestor seja investigado pelo Ministério Público Estadual.

prefeito itabela caribe 2

O ex-gestor recebeu duas multas. Uma de R$ 38.065,00 e outra de R$ 30.600,00, correspondente à 30% dos subsídios anuais, devido a não redução da despesa com pessoal nos prazos previstos na Lei Complementar N.º 101/2000. Também foi condenado à devolução aos cofres municipais, com recursos pessoais na quantia de R$ 1.605.829,20, decorrentes de várias irregularidades encontradas na gestão do ex-prefeito Caribé.

O TCM identificou irregularidades nos processos seguintes processos de pagamento: R$ 767.457,54 (devido a saídas de numerários da conta específica do Fundeb, sem comprovação dos gastos), R$ 233.516,73 (ausência de contabilização de receitas),  R$ 141.541,86  (saída de recurso registrada no balanço financeiro sem justificativa), R$ 108.704,95  (notas fiscais em cópias), R$ 97.506,02  (ausências de prestações de contas de recursos repassados às entidades civis), R$ 86.400,00  (pagamento de subsídio a maior), R$ 73.000,00  (nota fiscal com prazo de validade expirado), R$ 59.857,22  (não encaminhamento de processos de pagamentos), R$ 28.344,88  (ausências de notas fiscais), R$ 7.500,00 (despesas sem comprovação de publicidade), R$ 2.000,00 (despesas com publicidade e autopromocional)

As disponibilidades financeiras de R$ 2.190.581,83 não foram suficientes para fazer pagamento aos restos a pagar do exercício no valor de R$ 209.658,23 e demais obrigações de curto prazo de R$ 10.458.887,81, encerrando com saldo descoberto de R$ 8.477.964,21, descumprindo o art. 42 da Lei Complementar nº 101/00.

De acordo com as informações da Secretaria do Tesouro Nacional, foram transferidos recursos do FUNDEB para o Município no montante de R$ 15.360.207,38, tendo a Administração Municipal, conforme apurado pelo Tribunal, aplicado 50,22% na remuneração dos profissionais em efetivo exercício do magistério da educação básica, referente a R$ 7.720.157,04, não observando o mínimo de 60% estabelecido pelo artigo 22 da Lei Federal nº 11.494/07.

Nas ações e serviços públicos de saúde, a administração investiu o total de R$ 2.941.164,84, equivalente a 13,21% dos impostos e transferências, com a devida exclusão de 1% do FPM, consoante estabelecido pela Emenda Constitucional 55, denotando descumprimento à exigência de 15% estabelecida pelo inciso III, do art. 77, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias.

O relatório registrou também a reincidência na extrapolação do limite para gastos com pessoal, vez que ao final do exercício de 2012, a referida despesa alcançou o montante de R$ 28.697.169,69, correspondente a 65,71% da Receita Corrente Líquida de R$ 43.674.816,62, mantendo o descumprimento do limite máximo de 54%, definido no art. 20, inciso III, alínea ‘b’, da Lei Complementar nº 101/00 – LRF.

 

.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Vereadores de Alcobaça reprovam contas do ex-prefeito Bernardo Olívio

Pelo placar de 6 a 5, as contas do exercício financeiro de 2016, de responsabilidade do ex-prefeito de Alcobaça, Bernardo Olívio Firpo Oliveira, foram rejeitadas pela Câmara Municipal de...

Câmara de Vereadores de Caravelas decide por deixar Jadson Ruas inelegível

A votação aconteceu na tarde desta segunda-feira (15). Antes de autorizar a análise do parecer do TCM N.º 07420e17, a Presidenta da Câmara Municipal de Vereadores de Caravelas, Raquel...

Prefeita de Porto Seguro tem contas rejeitadas pelo TCM

O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quinta-feira (21/12), rejeitou as contas da prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, relativas ao exercício de 2016. A gestora extrapolou o limite...