Na luta contra o rebaixamento, VP do Brasil de Pelotas mostra preocupação com arbitragem

O Brasil de Pelotas encara o Vitória, no...

Com paz selada em reunião, Bolsonaro confirma presença em posse de Moraes no TSE

O presidente Jair Bolsonaro (PL) confirmou que irá...

RJ: polícia apreende uma tonelada de droga durante operação na Maré

Rio de Janeiro- Uma operação conjunta entre Polícia Militar...

Foto de gato selvagem caçando flamingo ganha prêmio de imagens de natureza; veja outras premiadas

A imagem impressionante de um lince-do-deserto (ou caracal) caçando...

Novo formato de música promete revolucionar mercado da música

Escrito por Redação

Publicado em:

Compartilhe esse artigo


novo_mp3Os criadores do MP3 estão trabalhando em um novo formato chamado “MusicDNA”, um tipo de arquivo que seria capaz de rmazenar até 32 gigabytes de informação, como músicas, vídeos, capas e artes de álbuns, entre outros extras para os fãs de música, informou nesta segunda-feira (25) o site da revista “Rolling Stone”, citando a “BBC”.

O desenvolvedor norueguês Dagfinn Bach, que trabalhou no primeiro tocador de MP3 em 1993, e Karlheinz Brandenburg, o inventor do MP3, revelaram os arquivos “Music DNA” durante a conferência de música Midem, em Cannes, na França.

Ainda de acordo com a “Rolling Stone”, até agora, apenas o selo indie Beggars Banquet e a gravadora Tommy Boy Records, ambos do Reino Unido, assinaram para usar o novo formato, que será lançado em beta ainda neste semestre. Se tudo der certo, a versão final do “MusicDNA” deverá ser lançada já no início do segundo semestre.

Ainda segundo a BBC, o “MusicDNA” provavelmente fará concorrência ao iTunes LP, da Apple, que também oferece aos fãs de música material adicional mais elaborado como letras, artes de capas e faixas bônus, por exemplo.

“Nós podemos entregar um arquivo que é extremamente ‘buscável’ e capaz de transportar até 32 GB de informação extra no arquivo em si, além de ser dinamicamente atualizável, para que cada vez que o usuário se conectar, o arquivo será atualizado”, disse Bach.

Como o “Music DNA” é capaz de armazenar uma grande quantidade de informação, cada faixa provavelmente vai custar mais do que o preço cobrado pelo iTunes por faixas mais recentes (US$ 1,29), especulou a reportagem.

“Em vez de um Fusca velho enferrujado estamos fazendo uma Ferrari”, disse Stefan Kohlmeyer, da Bach Technology.


.

O que você achou desse assunto?

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Galaxy S4 é lançado com recurso de rolagem com os olhos e comando por gestos

O novo smartphone de ponta da Samsung, o Galaxy S4, foi apresentado ao mundo em um evento na noite desta quinta-feira (14) em Nova York. Um dos celulares mais...

Nokia decide vender a própria sede para levantar dinheiro

  A Nokia anunciou a venda de seu prédio-sede, que fica na cidade de Espoo, na Finlândia,por US$ 222 milhões. A empresa irá continuar lá, só que pagando aluguel...

Apple faz recall mundial do iPod nano com defeito em bateria.

Sobreaquecimento por causa dos riscos de segurança decorrentes de um possível sobreaquecimento da bateria, a Apple está promovendo um recall mundial para modelos iPod nano de primeira geração. A...