Com MDB e PSDB ‘completamente rachados’, terceira via fica ‘inviável’, afirma Kajuru

Uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) em tramitação...

Valéria: dupla é presa após ser flagrada circulando com fuzil e drogas em Duster

Dois homens que não tiveram as identidades divulgadas...

FBI investiga motivação racial em ataque que matou 10 pessoas em NY

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Ao menos dez pessoas...

Celebridades que já eram ricas antes da fama!

Várias estrelas construíram impérios e fortunas após muita luta....

Lençóis Paulista divulga nota que descarta vacinação como causa de parada cardíaca em criança de 10 anos

Publicado em:

COMPARTILHE ESSE ARTIGO:

A investigação do caso foi conduzida de forma conjunta pela Divisão de Imunização do estado e pelos Grupos de Vigilância Epidemiológica de Botucatu, Bauru e Lençóis Paulista.

O diagnóstico revelou uma pré-excitação no eletrocardiograma da criança, o que, segundo a secretaria, é uma característica da síndrome de Wolff-Parkinson-White (WPW).

“Esta é uma condição congênita que leva o coração a ter crises de taquicardia. Algumas destas crises podem ter frequência muito alta, levando até a síncope ou mesmo morte súbita”, explica em nota.

O resultado da análise foi divulgada nesta quinta-feira (20), após a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo concluir que a vacina contra a Covid-19 não foi a causa de uma parada cardíaca da criança de 10 anos, notificada em Lençóis Paulista, no interior do estado. Ela havia recebido o imunizante da Pfizer, indicado para sua faixa etária. A criança já teve o quadro revertido e ainda se encontra hospitalizada, mas estável.

O curto intervalo entre a vacinação e o início dos sintomas – menos de 12 horas – chamou a atenção dos especialistas. Esse tempo não sustentaria a hipótese de uma miocardite desencadeada pela vacinação, segundo a investigação.

​O evento adverso pós-vacinação foi descartado após análise do Centro de Vigilância Epidemiológica. “Não existe relação causal entre a vacinação e o quadro clínico apresentado, portanto, o evento adverso pós-vacinação está descartado”, diz a conclusão do relatório.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

Compartilhe esse artigo:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Caso de discriminação contra deficiente em ônibus vai parar na justiça em Goiás

Um caso de discriminação contra um passageiro de ônibus que tinha carteira de deficiente físico, que concede gratuidade nos transportes públicos e preferência em...

Judiciário poderia contribuir no combate à violência, defende ex-secretário nacional de Segurança

Apesar da sensação de insegurança no Brasil, dados da criminalidade são desiguais no país. Em entrevista à Jovem Pan, o ex-secretário Nacional de Segurança...

Incêndio atinge hospital em Cuiabá e pacientes precisam ser retirados às pressas

O Hospital São Benedito, localizado na cidade de Cuiabá, foi atingido por um incêndio na noite deste domingo, 15. De acordo com a Secretaria...